Candidatura de risco

Jornal Atual, 10 de julho de 2008. Mesmo com o risco de não conseguir formar chapa para as eleições deste ano, o casal Charlinho-Andréia of...

Jornal Atual, 10 de julho de 2008.

Mesmo com o risco de não conseguir formar chapa para as eleições deste ano, o casal Charlinho-Andréia oficializou as candidaturas a prefeito e vice, respectivamente, no último domingo (29), na Câmara Municipal de Itaguaí. O atual prefeito é candidato à reeleição e conta com apoio de todos os vereadores e uma coligação de 15 partidos. Mas apesar do amplo leque de alianças, o nome dele e de Andréia Busatto, primeira-dama e ex-secretária de Educação, vai travar uma batalha não só pelos votos dos moradores da cidade, mas também nos tribunais.
O Tribunal de Contas da União (TCU) divulgou nesta semana uma lista com mais de 3.100 pessoas inelegíveis porque tiveram as contas rejeitadas pelos tribunais de contas do País. E o nome de Carlo Busatto Junior, o Charlinho, aparece ao lado de 127 'maus gestores públicos' do Rio. O nome dele aparece na listagem referente às irregularidades detectadas quando foi prefeito de Mangaratiba. O TCU é a última instância no que diz respeito à análise de contas públicas, portanto, neste caso, Charlinho não pode apresentar recurso. O Coordenador do Registro de Candidaturas do Tribunal Regional Eleitoral do Rio, juiz Sérgio Ricardo de Arruda Fernandes, disse que os juizes eleitorais municipais e o TRE estão determinados a indeferir candidaturas que estejam nesta lista negra.
"Esse consenso do TRE serve para mostrar à população que os candidatos às eleições deste ano devem ter um princípio de moralidade.", afirmou o juiz, que fez uma ressalva: "isso não significa que o candidato não possa recorrer e que ele não possa concorrer às eleições, pois é o Tribunal Superior Eleitoral quem dá a decisão final sobre o tema", explica. No discurso de homologação da candidatura, Charlinho não criticou diretamente a Justiça, mas endureceu o tom
"Nós vamos ser perseverantes. Eles não vão derrubar a nossa vontade pela ditadura".

"Candidatura de cônjuge deve ser indeferida", diz juiz

Conforme o ATUAL revelou há duas edições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) publicará no Diário Oficial do dia sete de julho a decisão por unanimidade dos ministros de que Charlinho só poderia ter a mulher como vice se ele tivesse se afastado da prefeitura em abril. A pergunta feita pelo deputado federal Simão Sessim, do PP, é clara: "Pode o chefe do poder executivo municipal ter na sua chapa de candidatura à reeleição, sua cônjuge como candidata a vice-prefeita?" De acordo com o relator da consulta 1464 (disponível em www.tse.gov.br), ministro Eros Grau, a chapa só seria possível "desde que o candidato à reeleição se afaste do cargo seis meses antes das eleições".
Para o juiz Sérgio Ricardo de Arruda Fernandes, a candidatura de Andréia deve ser indeferida.
"No caso em questão, se for apresentada a chapa como mencionada, é bem provável que o registro do vice (cônjuge) venha a ser indeferido, causando a necessidade de sua substituição, o que é permitido.", disse.
Mais uma vez, Charlinho questionou a letra da lei.
No discurso de homologação da candidatura, Charlinho criticou a legislação eleitoral. "Se eu posso ser candidato à reeleição e minha mulher pode ser candidata à prefeita, porque a Andréia não pode ser minha vice?", questionou o prefeito.

Postar um comentário

  1. O Charlinho tá é querendo arrumar uma forma de não perder o controle sobre a Prefeitura de Itaguaí.
    Ele deve ter algum plano de se candidatar a algum cargo nas eleições de 2010 (Deputado Federal ou Senador), daí saindo a PMI vai ficar na mão do vice. Imagina se o vice dele for um cara que decida romper com ele?
    Então ele quer que a PMI fique com a esposa dele...

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item