A oposição venceu a disputa em Itaguaí

Jornal Atual, 13 de fevereiro de 2009. Tiro saiu pela culatra JÁ VIU CINCO GANHAR DE SEIS? Tribunal de Justiça anula li...

Jornal Atual, 13 de fevereiro de 2009.

Tiro saiu pela culatra

JÁ VIU CINCO GANHAR DE SEIS?
Tribunal de Justiça anula liminar da bancada ‘charlista’ e Comissões da Câmara de Itaguaí são definidas
Na última hora, com a ajuda do fax, e uma sessão extraordinária, que começou repentinamente, foram aprovados os nomes dos membros das Comissões da Câmara de Itaguaí inscritos na Chapa 1, composta por vereadores que fazem o bloco oposicionista ao prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho. A vitória do presidente do Legislativo, Vicente Rocha, e dos outros cinco opositores ao prefeito se deu através de um efeito suspensivo anunciado pelo Tribunal de Justiça, anulando o mandado de segurança preventivo emitido pelo juiz de Itaguaí, Rafael de Oliveira Fonseca, por aparentes violações no Regimento Interno (RI). A liminar foi pedida pelo vereador Jorginho Charlinho, que saiu derrotado na disputa.
Na pratica, os vereadores que compõem o bloco governista, minoria, tentaram manobrar a eleição das Comissões permanentes, com auxílio judicial, para vencer o bloco oposicionista que conta com seis vereadores, uma vez que a liminar concedida ao vereador Jorginho inviabilizava a Chapa 1 de concorrer. Se confirmasse a decisão do juiz de Itaguaí, Rafael de Oliveira Fonseca, este quadro daria efeito ao enunciado pelo prefeito Charlinho na posse do dia 1º de janeiro, quando disse que cinco vereadores iria vencer seis.
“Ação ardilosa e de má fé”, afirma Vicente contra liminar de Jorginho
O fato que é o a confusão parte do próprio RI da Câmara que em um artigo, o 22, diz que não pode membros da Mesa Diretora participar de Comissões e outro, o 55, que todos os vereadores devem participar, obrigatoriamente, de duas Comissões. Segundo a procuradoria da Câmara, pode-se dizer que o juiz foi induzido ao erro, pois apenas o primeiro artigo foi citado no pedido da liminar pelo vereador Jorginho, que também omitiu partes do RI que dão ao presidente da Casa o poder de decidir em casos omissos ou de dúvida. “Ficou claro que o impetrante (Jorginho Charlinho) agiu ardilosamente de má fé”, disse Vicente Rocha.
O mandado de segurança, expedido pelo desembargador Paulo Sérgio Prestes, suspendendo o efeito da liminar, chegou via fax à Câmara exatamente às 15h50, quando Vicente Rocha encerrou a sessão ordinária desta quinta-feira (12) e abriu uma sessão extraordinária. O parlamentar colocou em votação a eleição das Comissões, gerando protestos e confusões da ala ‘charlista’, que, desnorteados, tentaram desobstruir a votação, decidida por cinco votos a zero, com a abstenção dos governistas.
Depois de encerrada a sessão, o vereador Jorginho Charlinho interpelou Vicente Rocha e chegou a duvidar do documento: “Esse fax é verdadeiro?”, disse atônito. “Você acha que vou fraudar documento?”, devolveu o presidente da Câmara. “Então agora vamos partir para o jeito que a gente quer”, ameaçou Jorginho.
Para que este episódio – o conflito dos artigos - não se repita, Vicente Rocha disse que será criada uma comissão especial que vai vasculhar todos os pontos contraditórios do Regimento Interno.

Notícias Relacionadas

Sessões da Câmara 7310432630196691049

Postar um comentário

  1. Interessante a pergunta do Jorginho Charlinho quanto à legitimidade do documento. Ele espera dos outros aquilo que provavelmente ele mesmo faria. Fraude.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom. Agora teremos uma disputa que só trará benefícios para Itaguaí. Oposição é bom para fiscaizar o prefeito e não permitir que ele faça o que quer com nossos impostos. Só torço para os opositores não deixarem que os interesses particulares sobressaiam os da cidade.

    ResponderExcluir
  3. pra cima deles opositores!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item