Entrevista de Vicente Rocha ao Jornal Atual

Jornal Atual, 23 de abril de 2009. - Política é saber esperar o momento certo - ENTREVISTA: VICENTE ROCHA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL D...

Jornal Atual, 23 de abril de 2009.
- Política é saber esperar o momento certo -

ENTREVISTA: VICENTE ROCHA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ITAGUAÍ

heider.rangel@jornalatual.com.br

Iniciando uma série de entrevistas com os chefes dos poderes Legislativos na região, o ATUAL conversou com o presidente da Câmara Municipal de Itaguaí, Vicente Cicarino Rocha, que falou sobre relacionamento entre os poderes Executivo e Legislativo, comentou sobre carências da cidade e analisou o futuro da cidade. “As pessoas têm que pensar na cidade para a cidade, sem vaidade. A prefeitura não pode ser tocada como empresa particular, tem que prestar bons serviços”, disse. Na entrevista que segue, Vicentinho defende maior investimento público no cidadão. “Com todo respeito à atual gestão, o asfalto é importante, mas é mais necessário atacar os bolsões de pobreza da cidade, incluir essas pessoas na sociedade”, enfatizou.

Qual a sua avaliação sobre o atual cenário político de Itaguaí?
A cidade como se encontra hoje é parte de desgaste de políticos passados. A política anárquica que vivia no passado facilitou que uma pessoa viesse de fora para a cidade. O Charlinho foi um governante bem sucedido em Mangaratiba e a população de Itaguaí via o desenvolvimento e a beleza da cidade. Ele veio ganhou a eleição foi reeleito e está governando.

O senhor falou sobre desgaste de políticos passados. Mas seu pai e avô também foram políticos...
São momentos totalmente diferentes. Quando meu pai foi prefeito, tínhamos Seropédica, Itaguaí eram 542 quilômetros quadrados. Para falar de política de Itaguaí, temos que falar sobre antes e depois da Constituição de 1988. Quando Benedito Amorim deixou a Prefeitura de Itaguaí, o orçamento era de R$ 36 milhões; hoje é de R$ 280 milhões para um município de 220 quilômetros quadrados, aproximadamente.

Que análise o senhor faz da administração Charlinho?
Tem um viés de que eu discordo. Acho que tem de se investir mais nas pessoas, na qualificação da mão-de-obra, pagar melhor o funcionário público porque assim ele vai trabalhar melhor, gerando qualidade de serviço melhor para o município. Veja, por exemplo, a educação. Entre os 92 municípios do estado nós estamos em 85º lugar na educação, em saldo negativo. É um dado ruim para a cidade. Não adianta prédios novos se as pessoas que estão ali não estão capacitadas para dar aulas, se não estão sendo bem pagas.

Como está o relacionamento entre o Executivo e o Legislativo?
O prefeito até agora não me respondeu a um requerimento de informações. Acho que as coisas têm que ser às claras. O que é essa obra, quanto custou e porque custou isso. Pelo princípio da economicidade e da aplicabilidade do dinheiro público ele poderia fazer muito mais com o que tem.

O que preocupa o Legislativo de Itaguaí hoje?
O crescimento desordenado em Itaguaí apavora, assusta. Os dados sobre as doenças epidemiológicas vão explodir. Em 2008 tivemos 2.200 casos de dengue, fora casos de aids, leptospirose, são índices altíssimos. O prefeito preferiu investir em asfalto, em prédios de educação, postos de saúde e creches, mas e a capacitação para as pessoas que estão ali dentro, foi feita? As pessoas estão treinas para ter uma qualidade de ensino de top de linha?

A cidade está se preocupando com infraestrutura para o crescimento?
Não vejo nada demais em copiar o que está dando certo. Itaguaí já passou do tempo de chamar o urbanista Jaime Lerner para dar solução o gargalo que já se vive em Itaguaí. Nós temos um Arco Metropolitano e a Rio-Santos chegando com quatro pistas, como vamos ter ruas com sete metros? Deve se criar uma nova estrutura para a cidade. Há que se cuidar do saneamento básico para prevenir doenças. A maior riqueza do turismo de Itaguaí, que é a cachoeira do Mazomba está jogada ao relento. Se continuar do que jeito que está indo Mazomba vai virar um grande deserto. As pessoas não vão querer ir mais lá.

O senhor falou em maior investimento nas pessoas. Em que direção deve haver maior destinação de recursos?
Não adianta colocar asfalto em rua que não tem manilha, nem água. Assim você está atropelando o processo. Com todo respeito à atual gestão, o asfalto é importante, mas é mais necessário atacar os bolsões de pobreza da cidade, incluir essas pessoas na sociedade.

A cidade está apta a formar mão-de-obra, o principal caminho para a inclusão social?
Veja só, o Conselho de Autoridade Portuária já tinha que ter exigido há muito tempo que as empresas exploradoras do Porto criassem um centro de formação profissional, mas elas não querem gastar com isso. As crianças de Itaguaí vêem só os navios passarem, mas nunca entraram no Porto. Por outro lado, poderíamos ter até três vilas olímpicas, que também fazem a inclusão dos jovens.

Como o senhor analisa a avaliação do prefeito Charlinho pela população?
O povo está impressionado com asfalto, com as obras nas escolas, porque isso de fato impressiona. Não gosto de falar mal de homem público, mas quando você compara com uma gestão trágica como a anterior o diferencial é chocante. O asfalto impressiona, mesmo quando não há questões técnicas consideradas, se tem base, se tem sub-base, se tem manilhas, se não tem.

A cidade está preparada para ter deputados federal e estadual?
Temos um universo de 80 mil eleitores, portanto, a condição de ter deputado estadual e federal. Temos que criar essa cultura na população.

Como o senhor vê o futuro político de Itaguaí?
Acho que o grande momento da história de Itaguaí vai começar a se definir na próxima eleição, com um filho de Itaguaí prefeito da cidade. Esse é o chamamento à população. Todos nós devemos refletir sobre isso. As pessoas têm que pensar na cidade para a cidade, sem vaidade. A prefeitura não pode ser tocada com interesse particular, ao contrário, tem que prestar bons serviços. Vou trabalhar nessa direção, firme nesse propósito.

A Câmara Municipal superou a conturbação inicial da Legislatura?
São quatro meses de convívio, muita contenda inicial. Dentro do grupo eleito, o prefeito tinha vontade de fazer um outro presidente. É um direito dele, que eu respeito, mas conversei com os colegas, que me referendaram. Sinto-me feliz porque consegui chegar a um consenso para uns vereadores me apoiarem e os outros cinco votaram contra, e eu respeito. A política é paciência, é saber esperar o momento certo.

Postar um comentário

  1. Dado alarmante.
    A educação de Itaguaí está indo de mal a pior... sou professor e isso parte meu coração...
    Vou fazer de tudo para que nesse meu primeiro ano como professor eu possa fazer algo para mudar isso, ao menos a minha parte pois realmente o professor aqui recebe muito mal e tá dificil ficar estimulado.

    ResponderExcluir
  2. Também acredito que já está mais do que na hora de Itaguaí ter seus representantes na Alerj e no Congresso.

    Eu acho que desse grupo "oposicionista" sairá um candidato apoiado por todos para Deputado Estadual, talvez um para Deputado Federal (lembrando que o Vicente tem afinidade com o Felipe Bornier). Vamos ver se vai rolar... se não for assim, não terá ninguém.

    Opa... Estava esquecendo do Charlinho... que vai ganhar para Deputado Federal...
    Então só estará em disputa uma vaga para Deputado Estadual.

    ResponderExcluir
  3. O PACIFICADOR:

    Vivemos dias difíces- injusticas, infidelidade, lares desfeitos, miséria, doencas e violencia para todos os lados.
    Onde vai parar tudo isso?
    Outras vezes imaginamos...Ah,se eu pudesse nascer de novo, num lugar melhor e fazendo as escolha certas na vida...
    Será isso possivel?
    MUITOS CHEGAM A PENSAR:
    Que o melhor pra vida deles seria mesmo era morrer!
    E NA MORTE O QUE ACONTECE?
    Sobre isso existe tres modo de pensar:
    MORREU ACABOU! Quem pensa assim, faz tudo o que quer, sem se importar com os outros.
    isso acaba contribuindo: para mais injustica, mas miséria, mas violencia etc...
    REENCARNACÃO- Acreditam que apos a morte, o espirito irá se desencarna e reencarnar sucessivas vezes, cumplindo o carma, até a perfeicão.
    PENSE NISSO:Se a cada reencarnacão a pessoa voltasse a esse mundo, de forma mais purificada,então porque o mundo está piorando?
    RESSURREICÃO- A sua alma é imortal, ela jamais morrerár ao se separar do seu corpo.
    DOIS DESTINOS: haverár para ELA: O céu( lugar de paz)
    O inferna(lugar de sofrimento eterno)
    DISSE JESUS: EU SOU A RESSURREICÃO E A VIDA. AQUELE QUE CRER EM MIM, AINDA QUE ESTEJA MORTO VIVERÁ...
    porque o homem vive nesse mundo com tanta ganäncia conflitos de vaidades, querendo um ser melhor do que o outro, atropelando principios famíliares...
    TEMOS QUE LEMBRAR QUE ESTAMOS NESSE MUNDO,SÓ DE PASSAGEM,O QUE AQUI FIZERMOS DE ERRADO, AQUI VAI FICAR E QUE NÃO LEVAREMOS NADA DESSE MUNDO.E QUE NU VIEMOS AO MUNDO, E NU VOLTAREMOS...

    ResponderExcluir
  4. O presidente da câmara é sempre o primeiro a apoiar candidato de fora, e agora vêm com essa de apoiar um filho de Itaguaí? Não força!O Charlinho só é prefeito graças ao apoio dele(presidente), Felipe Bornier, Délio Leal...Todos foram eleitos graças a ele.
    Pelo que sáiba eles não são nem primos de Itaguaí, quanto mais filho.
    Ah! Eu não acredito no que ele diz sobre os professores, quando diz: "que as pessoas(professores)que estão ali não estão capacitadas para dar aulas".Então o problema da educação é dos professores?
    DEMAGOGIA PURA!!!

    ResponderExcluir
  5. Devo dizer que concordo em partes com o que dizes Neuci.

    Mas seria interessante lembrarmos que na política é assim... infelizmente: Um dia você apóia um cara devido as idéias dele ou a conjuntura daquela determinada época, outras vezes você está contra ele.

    Eu volto a dizer que confio num processo de politização dos jovens de Itaguaí... sei que é dura essa empreitada... mas estou fazendo minha parte. Eu disse politização e não criar políticos, isso vem com o futuro.

    O blog é um pouco disso.

    ResponderExcluir
  6. Mas sobre esse negócio de filho de Itaguaí, a letra quer dizer que o futuro prefeito será um alguém da cidade e não um forasteiro reconhecido.

    Eu insisto em dizer que vai polarizar entre Vicente Rocha e Abelardinho.

    Vicente com apoio de alguns vereadores e tendo um como seu vice.
    Abelardinho com o apoio do Charlinho.

    Aposto minhas fichas nisso...

    ResponderExcluir
  7. Este ainda é um cenário muito distante, a política é como uma nuvem: em um momento ela tem uma forma, no outro, está totalmente diferente.

    Nós precisamos é de uma reforma política, pois o que precisamos é de políticos competentes, e não necessariamente alguém do município.

    Afinal, se temos uma empresa, nós não contratamos funcionários só do região em que ela está instalada, contratamos gente que tenha capacidade de exercer o trabalho, independente de onde ele seja.

    O Brasil sempre foi governado por brasileiros, e veja como estamos.

    REFORMA POLÍTICA JÁ!!!

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item