Análise (3) - EDUCAÇÃO

Depois de ler a notícia abaixo, decidimos levantar uma nova análise aqui no blog: EDUCAÇÃO . Vamos ao debate!!!! Cidade tem receita para E...

Depois de ler a notícia abaixo, decidimos levantar uma nova análise aqui no blog: EDUCAÇÃO.

Vamos ao debate!!!!

Cidade tem receita para Educação menor do que a permitida
Fontes: O Globo, A Voz da Cidade, Estadão.


O Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (SIOPE), que desde 2005 monitora os investimentos em educação, informa que segundo a Constituição, prefeituras e governos estaduais devem investir no mínimo 25% da receita em educação.

O Globo mostrou que 165 municípios do Brasil e 4 estados aplicaram menos que isso em 2008, conforme parâmetros do Tesouro Nacional. O Município de Santana do Matos, no Rio Grande do Norte, é o que menos investe em educação no país: apenas 2,06% do orçamento.

Os dados de 2008, divulgados no início da semana, demonstram que quatro governos estaduais e 165 prefeituras aplicaram menos de 25% de sua receita em educação, contrariando a Constituição. Estão na lista os governos do Rio Grande do Sul (18,44%), da Paraíba (23,11%), de Sergipe (24,20%) e de Mato Grosso (24,79%). No Rio, os municípios são Mesquita (21,73%), Valença (23,24%), Japeri (23,73%) e Itaguaí (23,97%).

A Prefeitura de Itaguaí contestou o estudo do MEC, afirmando que aplicou 27,04% e não 23,73% como consta no SIOPE.

Embora o Siope seja alimentado por informações enviadas diretamente pelos governos estaduais e municipais, os 4 Estados e os 165 municípios em situação irregular põem a culpa nos critérios adotados pelo MEC para calcular os índices e itens classificados como gastos em educação.

A constatação do Siope surpreendeu as autoridades educacionais. É muito difícil entender o que está acontecendo. Para onde estão indo os recursos? Investimento menor do que 25% é resultado de má gestão. A gente só vai melhorar a qualidade da educação quando houver mais dinheiro. Mas também é preciso melhorar a gestão, declarou ao jornal O Globo o presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, Carlos Eduardo Sanches, que é secretário municipal de Castro (PR). Isso mostra um frágil compromisso com a educação, num momento em que a sociedade brasileira se mobiliza para evoluir e atingir metas, afirma o consultor da Unesco, Célio da Cunha.

Diante da importância do ensino fundamental para a formação das novas gerações, condição básica para que possam se emancipar socialmente e se colocar no mercado de trabalho, cabe ao Ministério Público intervir o mais rápido possível, processando por crime de responsabilidade os prefeitos e governadores que desviam dinheiro da educação para obras eleiçoeiras.

Postar um comentário

  1. "Depois do pão, a primeira necessidade do povo é a educação." (Danton)

    ResponderExcluir
  2. Por que essa notícia não circulou nos jornais da cidade? o jornal impacto e o atual agora estão do mesmo lado: comprados.
    a justiça eleitoral não está vendo que esses jornais, principalmente o impacto são máquinas de divulgação das ações do prefeito?

    Ass: ATÉ QUANDO?

    ResponderExcluir
  3. A mídia, de forma geral, está vendida!
    Antes se dizia que a mídia era censurada pela força da "ditadura militar"; hoje ela censurada pela força do capital - antes de se editar qualquer furo de reportagem, primeiramente se negocia a valor da tal reportagem - esta negociação é que vai definir: de que forma vai ser editada, ou até mesmo, se vai à público.

    Assistam ao filme: O Informante (The Insider), com Al Pacino.

    ResponderExcluir
  4. Entidades "competentes", não acham que a educação vá mal assim, vejam:
    Trecho de reportagem de Lisandra Paraguassú e Tânia Monteiro, do Estadão.

    Aos gritos de “Dilma presidente” e “Lula, guerreiro do povo brasileiro”, os cerca de 3 mil estudantes que se reuniram ontem na abertura do 51º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE) mostraram uma adesão inquestionável ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com algumas poucas reivindicações e vários elogios, deixaram claro de que lado estão. Algum desavisado poderia pensar tratar-se de uma convenção petista.
    Ovacionado ao se levantar para fazer seu discurso, o presidente chegou a pedir que parassem. “Vocês vieram aqui para trabalhar ou para gritar?”, brincou o presidente.
    As vozes dissonantes foram poucas. De um lado, um grupo minoritário contrapunha ao nome da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, para a presidência em 2010 o do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) - que integra a base aliada do governo. Mas mesmo esse grupo de estudantes se entusiasmou e começou a tirar fotos de Lula assim que o presidente entrou no auditório do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, ontem, em Brasília.
    “O presidente Lula é o primeiro a participar de um congresso da UNE em 71 anos de história”, destacou a presidente da entidade, Lucia Stumpf, ligada ao PC do B. Não há registros, no entanto, de outro presidente que tenha sido convidado para a cerimônia. Lula e o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Luiz Dulci, foram convidados a pôr a mão no gesso em um molde que ficará exposto na nova sede da UNE, no Rio. Como Lula e Dulci demoraram muito, o gesso endureceu e os dois tiveram dificuldades para tirar a mão da massa.
    APOIO
    Dominada há décadas pelo PC do B, que elegeu a maioria dos presidentes desde a reconstrução da entidade, em 1979, e pelo PT, que tem o segundo maior grupo, a UNE virou base do governo desde a primeira eleição de Lula, em 2002. Nunca antes a entidade teve uma relação tão próxima com o governo federal.
    Essa proximidade se traduz em recursos. Desde 2004, a UNE já recebeu R$ 10 milhões da União. Desses recursos, R$ 7 milhões foram repassados somente nos últimos 14 meses. O 51º Congresso da entidade, que começou ontem em Brasília, foi organizado com o apoio de sete ministérios, além de instituições como a Caixa Econômica Federal, Correios, o Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci) e a Petrobrás. Um projeto de lei que tramita no Congresso ainda vai liberar recursos federais para financiar a reconstrução da sede da entidade no Rio de Janeiro.
    Em seu discurso, que durou pouco mais de meia hora, o presidente Lula elogiou a independência da UNE. “A Lucia (Stumpf) fez seu discurso como se eu não estivesse aqui. E fez mais forte porque eu estava aqui. Numa relação democrática,civilizada, ninguém pode ser dependente de ninguém”, afirmou o presidente.
    “Eu sou amigo de vocês e vocês meus amigos. Vocês são uma entidade com autonomia e no momento em que vocês não concordarem comigo é para dizer na minha cara ?não concordo, sou contra? e vão para rua fazer passeata. Não tem nenhum problema”, completou.

    ResponderExcluir
  5. Acabamos fugindo um pouco do tópico da discussão mas queria deixar aqui algumas considerações sobre o tema EDUCAÇÂO em Itaguaí.

    Não só em Itaguaí mas em todo o Brasil, os professores enfrentam uma enorme dificuldade em educar as crianças e jovens nas escolas graças ao ECA e outras leis que voltadas para as crianças e adolescentes.

    As crianças hoje estão mais protegidas perante a lei e isso de certa forma é bom mas como professor posso dizer que não é tão bom assim: as crianças e adolescentes acabam tendo tanta liberdade para tomarem certas atitudes, proponho que para entenderem melhor isso conversem com algum professor, que essas leis mais prejudicam que ajudam.
    Deixarei essa questão para dar maiores detalhes se alguém quiser.

    Fora isso, o sistema capitalista globalizado fez surgir um outro câncer: IDEB. (Índice de Desenvolvimento Educacional Brasileiro)
    À partir desse índice, as transnacionais e outras ferramenteas do capitalismo fazem ou não investimentos em determinado país. O Brasil possui um índice baixo hoje e tem como meta aumentar esse índice de acordo com as preferências internacionais.
    Acontece que nessa correria para levantar o IDEB do Brasil, estados e municípios estão tendo que cometer absurdos (até mesmo inventar notas para alunos fracos) para melhorar seu (Município, Estado e Brasil) IDEB.

    Os estudantes deixaram de ser seres humanos, futuros cidadãos e futuro desse país, para se tornarem números, dados.

    Isso de forma bem simplificada eu deixo aqui registrado. Se alguém quiser mais detalhes sobre minha crítica, eu falo depois.

    Minha crítica vai então para o sistema educacional brasileiro pois entendo que tudo de errado que acontece em Itaguaí vem de algo maior.

    Procurem saber se seus filhos estão sendo tratados como estudantes ou como número!!!

    ResponderExcluir
  6. Pois é Fabiano, o problema é grave!
    Tudo que se fala , hoje em dia é: estatística.

    O governo federal, adota o sistema de "massificação da educação", embora que com isso, não se eduque ninguém, mas apresente números.

    Entidades como a UNE, em outros tempos, já teria protestado contra este "crime contra a educação", mas como todos, ela também se rendeu ao capital.

    O governo como sempre, transfere responsabilidades, falindo assim, o sistema educacional público.

    UmA das grandes "Farsas" do governo federal é o ProUni, que funciona como uma grande máquina de compra de votos, pois manipulando números, se apresenta como a salvação do ensino superior aos pobres e negros.
    Na prática o sistema funciona assim: o aluno pobre estuda numa faculdade pé de escada, o dono da faculdade para oferecer a bolsa de estudo ao aluno pobre, recebe isenção em alguns impostos, o que é, sem meias palavras, transferência de renda para os empresários, donos dessas faculdades, oferecendo uma formação de ensino superior deplorável. Esse aluno pobre que já recebeu uma educação ruim no ensino fundamental e médio, sai com o diploma, mas com uma formação ruim. Como sabemos? basta ver os números do próprio governo. Das 492 instituições avaliadas pelo Enade, 237 apresentaram notas 1 e 2, as mais baixas da avaliação. O que essas instituições têm em comum além de um péssimo ensino superior? todas estão cadastradas no ProUni.

    E assim a vida segue. Lula manipulando números, se orgulhando em cadeia de TV que em seu Governo mais de 11 milhões de pessoas recebe o Bolsa Família, o que deveria ser motivo de constrangimento, mas o que mais me espanta: é ver que este farsante
    tem 80% de popularidade.

    Lula, ao contrário do que muitos fanáticos pregam, é o o presidente das "elites". Um dia ainda vão me dar razão, espero que não demore tanto!!!

    ResponderExcluir
  7. Neuci,

    Um dia eu já cheguei a ter uma opinião sobre a "Oposição" e você me disse isso. Você tinha toda a razão.

    Mais uma vez eu terei que discordar de você sobre um assunto: Lula ou não LULA?

    Você é contra o Governo Lula. Eu sou à favor.

    Para representar minha opinião, vou citar novamente meu professor da universidade mas trocando as idéias: " O Lula não é o melhor presidente mas é o melhor que nós temos."
    Ou seja, prefiro o Lula do que o Governo do FHC (PSDB).

    Não consigo lembrar de nada bom do Governo do FHC. Você pode me ajudar?

    Agora, não tendo como ficar com o Lula e tendo que ficar com o PSDB, o menos pior é o Aécio Neves.

    Espero que tendo eu a razão no final da história ou você mais uma vez, o que importa é que as coisas melhorem cada vez mais para o nosso país.

    ResponderExcluir
  8. Olá Fabiano!

    O governo Lulla vive de propaganda enganosa.
    O que seria do governo Lulla se não fosse as medidas tomadas no governo FHC?
    Eu posso até te dizer o que foi feito no governo FHC, mas de contra-partida , você vai ter que me dizer o que foi feito pelo grande apedeuta.
    Vamos lá:

    1)Plano real(Plano econômico que Lulla era contra, mas não mudou essa estrutura)

    2)Bolsa-Família(Lulla também era contra, dizia que era dar o peixe ao invés do anzol)

    3)Luz no Campo( Lulla mudou o nome para Luz Para todos)

    4)Agências Reguladoras(ANT, ANEEL,ANATEL,ANTT, ANP,ANS...)

    5)Privatizações(responsável pelos empregos e arrecadação recorde no governo Lulla, imagine se PT pega a Vale, CSN, as Teles e faz o que ele fez com a Petrobras?)

    6)Fundef ( este você conhece bem, e que o Lulla fez o favor de praticamente, só mudar o nome para FUNDEB, é bem o estilo dele)

    7)LRF(Lei de Resposbilidade Fiscal - o PT votou contra à pedido de Lulla)

    8)O maior programa de tratamento de AIDS do mundo( o governo do PT vive ganhando prêmios no mundo inteiro por este programa)

    9)A quebra de patentes dos laboratórios(criando então os genéricos)

    10)PROER(graças à este programa, os bancos brasileiros não quebraram na última crise internacional - o governo FHC foi bombardeado pelo PT na época, mas hoje, surfam na "marolinha" graças ao PROER)

    11)Pronaf(programa nacional de fortalecimento da familiar - MOLUSCULO também fala que é dele,rs)

    O governo Fernando Henrique enfrentou três crises econômicas –no México em 1994, na Ásia em 1997 e na Rússia em 1998– que acabaram tendo impacto no Brasil e culminaram na adoção do câmbio livre e numa forte desvalorização do real em 1999.
    Já o presidente Lula, , se beneficiou do bom momento da economia mundial, com aumento do preço das commodities agrícolas –principal produto de exportação do país– por causa da expansão especialmente no mercado asiático.
    Lulla somente vai enfrentar a "marolinha", porém só reta 1 ano e meio de mandato e ele seguiu os anos anteriores navegando em águas tranquilas……
    Como o presidente Lula gosta, eis uma comparação entre o seu primeiro governo (2003/06) e o primeiro mandato de FHC (1995/98). Ambos apresentaram a mesma taxa média de crescimento do PIB, 2,6% ao ano. ( nos 4 anos do primeiro mandato de cada um)
    Mas os períodos são muito diferentes. No de FHC, o cenário internacional foi desastroso. Vários países emergentes importantes quebraram. Houve a crise do México de 95, a crise da Coréia de 97, que levou quase todos os países asiáticos, e depois a crise da Rússia, de 98. E ainda em 98 teve a quebradeira dos fundos de investimento em Nova York – tudo isso causando instabilidade, falta de investimentos e juros muito elevados no mercado internacional.
    Em contrapartida, a partir de 2003 – que é o início do governo Lula – a economia mundial entrou no melhor momento em décadas.
    No governo Fernando Henrique, foi remar contra o vento. Além do cenário externo desfavorável, o ambiente interno era difícil. A estabilidade estava sendo construída, não tinha Lei de Responsabilidade Fiscal, não tinha sido feito o saneamento dos bancos, não havia regime de metas de inflação, nem superávit primário – tudo que Lulla então criticava e que agora sustenta como sendo de sua autoria.

    Bem Fabiano, anota mais essa :
    Lulla é a maior fraude política que este país já teve. Mais cedo ou mais tarde você vai enxergar.

    A grande ironia disto tudo, é que quem elegeu Lulla foi FHC, pois imagine se o governo do PT não tivesse herdado do PSDB, todas essas medidas? como teria sido na reeleição de Lulla, que foi levado ao segundo turno pelo "picolé de xuxu"?- se é o Serra teria perdido no primeiro turno, e de lavada.

    O Lulla até o final do mandato, vai acabar com a esquerda no Brasil!

    Já tem muito tempo que eu não vejo ninguém com a estrela do PT.

    Partido de Trapaceiros.

    Ah! Estou esperando os grandes feitos do apedeuta.

    ResponderExcluir
  9. A renda da população do Nordeste, região mais carente do Brasil, cresceu nos últimos anos impulsionada pelo fortalecimento da economia nacional e pelos programas de transferência de recursos como o Bolsa-Família. O dado negativo é que isso não refletiu em melhora na qualidade de vida das pessoas que apenas sobrevivem nesses Estados e nem contribuiu para um desenvolvimento local sustentável.
    Serviços essenciais a que todos deveriam ter acesso como saúde de qualidade, educação universal, moradia adequada e segurança apresentaram crescimento bem abaixo da média do aumento de renda.
    Os dados são de uma pesquisa inédita feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) Projetos, que apresenta amplo diagnóstico das mazelas e conquistas socioeconômicas dos nove Estados nordestinos, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, entre os anos de 2001 e 2007.
    O levantamento traça um retrato detalhado do atraso da região Nordeste com base em 36 microindicadores oficiais agrupados em oito temas: saneamento básico, qualidade de moradia, educação, segurança pública, renda, emprego, desigualdade e pobreza.

    Fundação Getúlio Vargas

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. só pra lembrar a média do IDEB em itaguaí é uma bosta!

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item