Garotinho ou Sérgio Cabral? Eis a questão!!!!

Nas eleições de 2010, teremos uma disputada campanha para Governador do Estado do Rio de Janeiro e os políticos de Itaguaí deverão se posici...

Nas eleições de 2010, teremos uma disputada campanha para Governador do Estado do Rio de Janeiro e os políticos de Itaguaí deverão se posicionar:

De um lado teremos o Coronel Garotinho, com sua velha forma de fazer política, lembrando que recentemente o “Little Boy” mudou de partido (o que não é novidade para ele pois já esteve no PT, PDT, PSB, PMDB e agora está no PR). Agindo dessa forma nos indica que partido para ele é somente uma legenda, não havendo portanto um ideologia partidária mas sim a linha Garotinho. Para ele aliado é aliado, inimigo é perseguido. Já fechou acordo com o Senador e candidato a reeleição Marcelo Crivella, tendo portanto ao seu lado a máquina do Bispo Macedo: TV Record (quem assiste já pode começar a ver as críticas ao Governo do Estado) e a Igreja Universal.

Do outro lado da disputa teremos o Sérgio Cabral, “Cabral O Neoliberal” para os íntimos (já foi do PSDB e hoje está no PMDB), que está fazendo um Governo tão bom ou tão ruim (e há quem diga até tão péssimo) quanto o da Era Garotinho. Isto deve se explicar pelo fato de Serginho ter entre sua equipe de Governo, alguns dos aliados dos garotinhos. Conseguiu bons investimentos para o Estado graças ao bom relacionamento com Lula. Com essa mudança de lado do Garotinho, vai perder uma boa parte da sua base de apoio. Essa é a questão: já começaram as movimentações políticas para definir de que lado ficar.

Quem ficar com Garotinho tem 50% de chances de com ele ganhar as eleições e assim receber os benefícios dos quais seus aliados sempre desfrutam. Mas se Garotinho perder, quem o apoiou já terá se exposto demais com o Sérgio Cabral e além de perder investimentos que o Cabral possa fazer até as eleições seguintes, também sofrerá as retaliações de não tê-lo apoiado.

Decidindo por Sérgio Cabral, a situação se repete, pois com a possibilidade do Garotinho ganhar, basta lembrar do que ele faz com quem não o apóia ou trai seu projeto de governo “garotinhesco”.

Eis o círculo vicioso que estará nas cabeças dos políticos do Estado do Rio de Janeiro, inclusive em Itaguaí.

Tanto Garotinho quanto Cabral serão palanque para a candidata Dilma Roussef (PT) no Rio de Janeiro, portanto não tem força aquele argumento dos futuros investimentos do Governo Federal. Ambos são carismáticos e tem força entre as classes mais pobres, maioria dos eleitores. Com eles não tem como ficar em cima do muro. E agora?

De que lado você estará?
Você pode explicar por que vai apoiar este ou aquele?
Eis a questão!!!!

Ass: Blog Política de Itaguaí.

Postar um comentário

  1. "Cada vez que dou um posto vago, faço cem descontentes e um ingrato." (Luís XIV)

    ResponderExcluir
  2. em mangaratiba o prefeito se ferrou.
    sera que em itaguaí tb vai?

    ResponderExcluir
  3. Eu particularmente, não voto em nenhum deles, pois fazem a mesma "politicagem" de Lula: clientelista, populista, assistecialista, enfim, um regime que vive de propaganda enganosa. Mas é o que o povo gosta, o povo gosta mesmo, é de ser enganado.

    ResponderExcluir
  4. Foi cassado! Tá fora!
    Não é mais prefeito!

    Entendeu??????????????????

    ResponderExcluir
  5. porque o charlinho não sai se o problema dele é pior que o de mangaratiba

    ResponderExcluir
  6. O crime dele foi eleitoral, e em caso de primeira instância, já dá cassação.Mas ainda cabe recurso.

    O caso de Charlinho é de CONTAS, isso só dá cassação em ultima instância, ou seja ele pode responder com mandato até o ultimo recurso.

    ResponderExcluir
  7. O prefeito de Mangaratiba, Aarão de Moura Brito Neto, e o vice, Marcelo Tenório da Cruz, foram cassados nesta segunda-feira (27) pelo juiz da 54ª Zona Eleitoral de Mangaratiba, Márcio da Costa Dantas. Os dois, que foram multados em R$ 40 mil e R$ 30 mil, respectivamente, são acusados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de abuso de poder, compra de votos e uso indevido dos meios de comunicação.

    Os dois, de acordo com a decisão à qual ainda cabe recurso, ficam inelegíveis por três anos. O juiz determinou que o presidente da Câmara de Vereadores de Mangaratiba, cidade no litoral sul do Estado, assumirá interinamente o cargo de prefeito após a intimação dos cassados.

    Caso haja novas eleições na cidade, ambos estariam impedidos de concorrer. Aarão, candidato à reeleição em 2008, teria pagado a jornais locais para exibirem propaganda irregular. Uma das publicações teria como dono um secretário municipal.

    Com informações de O Dia Online

    ResponderExcluir
  8. Sobre essa questão do tópico sobre a disputa Garotinho x Sérgio Cabral, eu tenho algumas considerações à fazer:

    Beto da Reta - sempre foi um dos grandes aliados do Garotinho em Itaguaí mas hoje é aliado do prefeito que vai usar todas as suas forças para o Sérgio Cabral. De que lado vai ficar o Beto?

    Será que não vai surgir nesse meio uma terceira via, como por exemplo o Gabeira? Se isso acontecer eu vou me arriscar no Gabeira... só pela sua equipe.

    ResponderExcluir
  9. César Maia para 2010!!!!

    ResponderExcluir
  10. QUEM SERÁ QUE DEVE CONCORRER PARA O GOVERNO DO RIO, EU GOSTO DO PSDB


    PROFESSOR

    ResponderExcluir
  11. Eu não votaria em nenhum dois não gosto da maneira em que eles exercem politica
    todos são populistas, assistencialistas.
    E o governo deles não fizeram quase nada so pioram o pouco que tem

    ResponderExcluir
  12. Existe tambem uma terceira opção que é o Prefeito de Nova Iguaçú Lindenberg que é do PT do Presidente Lula.

    ResponderExcluir
  13. Olá,

    Realmente o Lindberg, prefeito de Nova Iguaçú é uma alternativa.

    Na minha humilde opinião, ele está sonhando alto. Eu até poderia votar nele para Governador mas acho que ele seria um voto garantido meu se fosse para Senador.

    Eu jamais votaria no Picciani. E meu outro voto para Senador iria para o Gabeira. Lindberg e Gabeira.

    Lindberg é um nome para senador. Para governador, infelizmente ele não terá chances com os barões do povão: Garotinho e Sérgio Cabral.

    O ruim é que quando o cara fica determinado, ele fica meio cego para as coisas. Tomara que ele tome a decisão correta e não se prejudique.

    ResponderExcluir
  14. Estou perdendo meu tempo neste Blog;
    lullista, Lindberg senador e Gabeira governador, quaquaquaqua!!!!!

    É melhor jogar pérolas aos porcos!!!!

    FUIIIIIIIIIIIIIIIIII!!!!!!

    ResponderExcluir
  15. Qual é, Neuci, estou te desconhecendo ... Não era você que era a favor de um espaço democrático? Democracia é isso, oras. Você fica com sua simpatia pelo PSDB e outros simpatizam com Lula. Cada um com seu cada qual.

    ResponderExcluir
  16. "Embora todos vivamos sob o mesmo céu, não temos o mesmo horizonte." (Konrad Adenauer)

    ResponderExcluir
  17. Lindberg Farias: Por que três palanques

    Prefeito de Nova Iguaçu

    Rio - O Rio de Janeiro será palco decisivo nas eleições de 2010. Aqui, havia os que defendiam um único palanque para Dilma Rousseff. Seria bom para Sérgio Cabral. Mas seria bom para Dilma? Não.

    Teríamos Fernando Gabeira apoiando José Serra com força na capital e Anthony Garotinho Garotinho, no interior e na região metropolitana, como segundo palanque tucano. E Dilma, imprensada no palanque único de Cabral.

    A tese do palanque único começou a ser desmontada com a filiação de Garotinho ao PR. Dilma ganhou o apoio de Garotinho e tirou o palanque de Serra

    A minha pré-candidatura pelo PT é outro importante reforço para Dilma. Além de mobilizar a militância de esquerda — não vai ser a máquina do PMDB em seus escritórios que agitará as ruas por Dilma —, a nossa candidatura ajudará na disputa com Gabeira pelos votos entre jovens e eleitores que têm na esquerda uma referência.

    E isso não atrapalha a aliança com o PMDB? Não é só no Rio de Janeiro que vão existir vários palanques. Na Bahia, o governador é do PT e o PMDB lançou Geddel Vireira Lima. Na relação Cabral-Lula, é o governador quem deve ao presidente, não o contrário. Pedir ao PT para não ter candidato é inaceitável. Significa diminuir nossa bancada de deputados e deixar o governo de Dilma refém do velho PMDB.

    Quem entende de eleição, sabe que ter entre 9 e 10% (última pesquisa do IBPS) a essa altura é fantástico. É uma candidatura que tem tudo para crescer com um discurso popular e de esquerda, como fazia Brizola, no Rio, e faz, hoje, Lula nacionalmente e transformar-se na grande onda das eleições ao governo do Rio em 2010.

    ResponderExcluir
  18. Dizem que o Brasileiro não vota em partido, mas na pessoa. Acho que compreendo melhor o porque hoje. O fato é que o PT não é mais "referência de esquerda" há algum tempo, senhor Lindberg. Votei e votaria no Gabeira novamente, pelo projeto moderno e pela política inteligente, ecológica,anti-demagógica. Só votaria no Sérgio Cabral num possível segundo turno contra o Garotinho, porque aguentá-lo de novo ninguém merece (só talvez os crentes a ele ligados). Nada de política evangélica. Preocupa-me ainda o discurso policial do Senhor Wagner Montes, se é verdade que virá como candidato. Preocupo-me porque a frente de um programa popular e de senso comum na TV Record que ele alçou ainda mais sua carreira política, aliado aos pastores da Universal. É preciso defender a democracia contra um Estado policial e evangélico. Gabeira, Cabral ou Lindberg, que pelo menos a escolha seja política e não religiosa!

    ResponderExcluir
  19. Meus Amigos

    falar em eleição antes de Outubro é por deveras precipitado. Haverá mudanças de partidos e 30 de setembro é data limite para isso. Outro fator que vai mudar muita coisa é a saida da Marina Silva do PT.

    Analisando não acredito que Gabeira deixe de ser candidato ao senado para encarar uma canoa furada como a disputa ao Governo do estado.

    Quanto a Wagner Montes ele é empregado da Record e não vai sair candidato contra o Garotinho, pois o Bispo Senador tem um acordo o Garotinho.

    No embate entre Garotinho e Sergio Cabral falta a Garotinho a maquina que lhe garantia igualdade. Junto a Sergio teremos os prefeitos do PMDB e ninguem com madato majoritario ainda na metade irá mudar e correr o risco de ficar sem o mandato para apoiar um Garotinho que não tem certeza de vitoria.

    Por ultimo essa estoria de dois palanques é para Dilma e não para Lula. Tenham certeza que Lula não irá ao palanque de Garotinho e Sergio utilizará sim o amigo Presidente. Aí o preço pago por Garotinho que nunca engoliu LULA.

    ResponderExcluir
  20. Publicado no Blog Perspectiva Política, podem acessar pela lista de links da página principal do nosso blog.

    Lula acha reeleição de Cabral incerta

    Este blogueiro vem dizendo e repisando, ao longo dos últimos meses, que o Governador fluminense Sérgio Cabral (PMDB) terá uma das mais complicadas reeleições - talvez até a mais complicada - dentre os governantes estaduais que podem se valer deste recurso.

    Diversos elementos causam esta minha análise: A candidatura do ex-Governador Anthony Garotinho ao governo do Rio de Janeiro, que provavelmente retirará votos de Cabral, a baixa popularidade do Governador, a aprovação diminuta do governo fluminense atual, a união da oposição fluminense, entre outros.

    Contudo, alguns leitores discordaram, através de comentários ou e-mails, desta minha análise. Embora eu apresente as diversas razões que fazem com que eu chegue a esta conclusão, eles não estão convencidos.

    Embora eu respeite totalmente a posição dos que acreditam que Cabral terá vida fácil em 2010, não posso deixar de exibir novos elementos que comprovam, ainda mais, que todos os entendidos estão percebendo as dificuldades que Cabral terá. Entre eles, o próprio Presidente Lula, aliado do Governador.

    As dúvidas de Lula no que diz respeito às chances de Cabral já haviam ficado patentes quando o Presidente aprovou, segundo as informações que correm, a pré-candidatura de Garotinho ao governo do Rio de Janeiro pelo PR, partido da base aliada. Ficou claro que Lula quer um palanque para Dilma no Rio e já não tem mais certeza de que Cabral poderá fornecer um de qualidade para a Ministra.

    Mesmo que alguém venha a questionar os posicionamentos do Presidente Lula, esta pessoa não poderá duvidar de seu tino político. Por isso, é muito relevante o fato de até mesmo o Presidente, aliado de Cabral, temer por sua reeleição.

    Pois bem. Agora, surgem novas informações que demonstram, mais uma vez, que Cabral não está assim tão bem das pernas. Confiram o que diz o colunista Ilimar Franco:

    “Ainda que os insatisfeitos sejam muitos, a preocupação de Lula às vésperas do lançamento do marco regulatório do pré-sal tem nome e sobrenome: Sérgio Cabral (PMDB). Por um misto de fatores econômicos (nenhum outro Estado perderá tanto quanto o Rio) e políticos (sua reeleição está longe de assegurada), o governador se mostra mais radical do que colegas de outros Estados produtores de petróleo na rejeição à mudança no sistema de pagamento de royalties.

    Não fosse por Cabral, Lula estava decidido a deixar o Congresso definir a questão dos royalties. Agora, hesita. Tem repetido que ele é um aliado fiel, importante para o projeto presidencial de Dilma Rousseff, e que não gostaria de fazer nada prejudicial à sua reeleição.”

    Resumindo, Lula tanto sabe que Cabral anda mal, que hesita em tomar atitude que prejudicará ainda mais o seu nome em 2010. Porém, ao mesmo tempo, visando se garantir, dá corda para Garotinho e não poda Lindberg que quer concorrer contra Cabral pelo PT do Presidente. Afinal, vale o “antes ele do que eu”.

    As coisas não andam bem para o peemedebista. Ele passará sufoco em 2010.

    Até um Lula que crê em Dilma Rousseff, não crê em Cabral.

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item