Texto enviado por Professor Fabiano

Artigo publicado no Jornal Atual, do dia 11 de dezembro de 2009. Um Impacto Social Trabalhando na Escola Municipal Elmo Baptista Coelho, ...

Artigo publicado no Jornal Atual, do dia 11 de dezembro de 2009.

Um Impacto Social

Trabalhando na Escola Municipal Elmo Baptista Coelho, na Ilha da Madeira, durante o ano de 2009, me coloco no dever de relatar algumas dificuldades encontradas para exercer o papel de educador.

Antes fosse usar este texto para denunciar condições que sempre são citadas pelos professores do Brasil afora. A situação a ser descrita refere-se aos problemas gerados pelos investimentos na Ilha da Madeira.

Em outras condições poderia dizer que o progresso derivado dos investimentos na região são benéficos mas para boa parte dos meus alunos não está sendo.

Imaginem vocês se morassem numa pequena comunidade a muitos anos de vida, onde quase todos se conhecem e se ajudam. Agora imaginem uma empresa poderosa financeiramente decidir construir algo nesta comunidade, obrigando os moradores a não verem outra situação a não ser venderem suas casas. Você obrigado a morar em outra casa, com outros vizinhos e com outra realidade social (violência por exemplo). Quando adultos somos fortes para resistir a esse impacto mas quando crianças isso é mais difícil. Tudo isso foi para fazer entender o que se passa na vida dos alunos.

Os pais estão tendo que se preocupar com a venda (forçada) de suas casas e com o novo local para moradia, além do tradicional trabalho e família. As crianças observam tudo a sua volta e nesse clima de instabilidade emocional, não tem como isso não afetar o comportamento deles: oscilam entre a tristeza pelo fato de perderem seus amigos, escola e casa; com a violência e o desrespeito.

Infelizmente os últimos acontecimentos na Ilha da Madeira vieram para provar o que estou a relatar: desrespeito por parte das autoridades com os moradores e violência de ambas as partes.

Como uma criança não sofre e não é influenciada com essa situação? Isso tudo se reflete na escola e no processo educacional. Sou testemunha que nós professores e demais equipe da escola fizemos de tudo para entender e ajudar aos alunos. A questão é que o ano está terminando mas não os problemas enfrentados pelas crianças, deixando a preocupação de como vai ser o futuro desses jovens.

Deixo aqui o relato e infelizmente não apresento uma solução. O que me proponho é deixar um pedido: Respeitem os moradores e mais do que isso, respeitem esses jovens pois eles serão o futuro do país. De nada vai adiantar trazer o progresso se os futuros cidadãos locais são deixados de lado.

Professor Fabiano Bastos

Postar um comentário

  1. Hoje em dia, quando se fala em instalação de uma empresa em determinado lugar, a maior preocupação é com as questões ecológicas, pois isso tá na moda; já as questões sociais ficam em segundo plano, quando se trata dessas questões em algum plano.

    Hipocrisia...

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente tenho ouvido de umas autoridades e celebridades da cidade, que esse é o preço do progresso.

    Digo que mais uma vez bateu o sentimento de sumir de Itaguaí.

    Eita cidadezinha... ou não né... eita cabecinha de lideranças de Itaguaí...

    ResponderExcluir
  3. ola meu querido professor FABIANO
    sou solidario com seu comentario sobre jovens da ilha da madeira
    em termos sociais itaguai esta abandonado transporte um dos piores do rj. funcionarios contratados com
    muitos descontos exenplo um professor
    recebe menos 500.00 reais. desapropriação em tempo record em nome do progresso e muitas pessoas bem informadas acha normal um dia um desses bam bam vai tomar itaguai por inteiro.quero ver como esses politigos vão sobreviver.a praga do faraor esta chegando.mp.tcu.cgu.tre .cpi.vai sair de maduro!!!

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item