Garotinho usa blog para fazer acusações a Cabral

Na contagem regressiva para o início oficial da campanha eleitoral, o ex-governador Anthony Garotinho (PR) utiliza seu blog como plataforma...

Na contagem regressiva para o início oficial da campanha eleitoral, o ex-governador Anthony Garotinho (PR) utiliza seu blog como plataforma de artilharia contra o atual ocupante do cargo, Sérgio Cabral (PMDB), que tentará a reeleição.

Enquanto ameaça revelar supostas novas irregularidades, Garotinho comemora como uma vitória pessoal a divulgação do inquérito do Ministério Público Estadual (MPE) do Rio de Janeiro que investiga denúncia de superfaturamento e supostas irregularidades na licitação de veículos para combate à dengue.

"Disse aqui, que não havia como esconderem a roubalheira. É só o começo. E estamos falando, por enquanto, apenas na secretaria de Saúde", escreveu, em um post nesta semana.

Em outro post, o ex-governador afirmou: "O mar de lama do governo Cabral está vindo à tona". Segundo Garotinho, seu blog conseguiu "obrigar" a divulgação da investigação sobre os veículos da Secretaria de Saúde e Defesa Civil do Estado do Rio.

Garotinho também seguiu acusando o vice-governador Luiz Fernando Pezão de comandar "mutretas (...) na secretaria de Obras, que acumulava até o mês passado".

De acordo com o ex-governador fluminense, "assessores diretos, ligados a ele, enriqueceram tão subitamente, que causaram espanto até mesmo nos funcionários do Palácio Guanabara".

As "mutretas de Pezão", diz Garotinho, envolveriam dinheiro federal das obras do PAC. "Já está tudo mapeado, inclusive, como as empreiteiras entregavam o dinheiro ao seu assessor predileto", afirmou.

"Indícios de cartelização"

Procurado pelo Terra, o ex-governador Garotinho não mostrou documentação que comprovassem suas afirmações. Ele respondeu, por meio de sua assessoria de imprensa, que estava "compilando" estes documentos e que os mostraria assim que estivessem organizados.

No caso investigado pelo Ministério Público, o governo suspendeu em março o pagamento de R$ 4,9 milhões anuais à empresa terceirizada Toesa, pela manutenção de 111 carros usados no combate à dengue.

A média é de R$ 44.189 mil por veículo, superior ao valor de mercado, que é de R$ 34 mil, segundo o MP. Além disso, o preço é muito superior ao pago por manutenção de veículos pela Fundação Nacional de Saúde (R$ 5,7 mil por ambulância) e pelo governo de São Paulo (R$ 1,6 mil).

Além disso, a Toesa, que inicialmente cobrara R$ 5, 2 milhões no edital da concorrência, baixou o preço, poucos dias antes do pregão eletrônico, o preço para R$ 4,9 milhões, enquanto sua única concorrente, a Troiakar, subiu seu preço de R$ 870 mil para R$ 5,1 milhões.

Responsável pela licitação, o subsecretário executivo da secretaria, César Romero Vianna Júnior - primo de Verônica Vianna, mulher do secretário estadual de Saúde, Sérgio Cortes - pediu exoneração do cargo no último dia 30 de abril.

O promotor de Justiça Leandro Navega disse que o MP identificou "indícios de cartelização", com as empresas "possivelmente (...) em conjunto designando preços para fraudar mercado". O MP também instaurou inquérito para investigar se houve crime na licitação.

O governador Sérgio Cabral afirmou que o MP investiga um "episódio específico, que deve ser apurado", Cabral disse que o secretário de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Cortes, tem sua confiança e é "o melhor quadro da saúde pública no País".

Cabral afirmou ainda que a área da saúde no Rio está muito mais bem estruturada do que há três anos, quando assumiu o governo no lugar de Rosinha Matheus, mulher de Garotinho, que sucedera o marido em 2003.

O vice-governador Pezão não respondeu à acusação do ex-governador. "O Garotinho me conhece. Deixa ele falar", afirmou. O secretário Sérgio Côrtes também não quis se manifestar.

João Pequeno
http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4416439-EI15336,00-RJ+Garotinho+usa+blog+para+fazer+acusacoes+a+Cabral.html

Postar um comentário

  1. Ex-prefeito de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Lindberg Farias (PT) teve seus bens bloqueados pela Justiça. Ele é réu num processo que apura improbidade administrativa na contratação, sem licitação, de uma fundação que prestou serviços para a prefeitura.
    Em nota, o ex-prefeito chama de “absurda” a decisão e afirma que não há irregularidades na contratação em questão. O texto diz ainda que seus advogados vão recorrer da decisão. Lindberg deixou o governo para se candidatar a senador pelo PT.
    O Ministério Público Estadual quer que Lindberg e outros seis réus devolvam R$ 1,2 milhão, que teriam sido desviados.

    ResponderExcluir
  2. ARTHUR VIRGÍLIO E AGRIPINO MAIA PSDB/DEM PROMOVEM O ATRASO DO CRESCIMENTO DO PAÍS.

    Projetos do pré-sal ganham hoje prioridade no Senado
    07 de maio de 2010 14h 54
    CAROL PIRES - Agência Estado - A partir de hoje, os quatro projetos que tratam do marco regulatório da exploração de petróleo da camada do pré-sal ganham prioridade na pauta do plenário do Senado. Antes deles, nenhum outro projeto pode ser analisado, a não ser as duas Medidas Provisórias (MPs) que já trancavam a pauta no início desta semana.
    Os líderes da oposição no Senado, José Agripino Maia (DEM-RN) e Arthur Virgílio (PSDB-AM), afirmam que não deixarão o governo votar os projetos sobre pré-sal se insistir em deixá-los com caráter de urgência. Esta semana, o líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), começou a negociar a possibilidade de retirar a urgência, contanto que haja um calendário de votação que garanta a aprovação do projeto antes das eleições.
    A oposição aceita votar os textos antes da eleição, segundo Virgílio. Mas Jucá ainda não respondeu aos líderes oposicionistas se o governo aceitará retirar a urgência. Caso a resposta seja negativa, Agripino e Virgílio prometem obstruir as Medidas Provisórias que estão em primeiro na fila de votação para atrasar o quanto puderem a análise dos projetos do pré-sal. A primeira MP, de número 477, concede crédito extraordinário de R$ 18,1 bilhões a diversos ministérios. A MP 480 abre crédito extraordinário de R$ 1,3 bilhão também para ministérios
    estados é municipios...

    ResponderExcluir
  3. Propaganda

    A sindicância aberta pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) apura o uso da máquina pública pelo governador para fazer propaganda de sua gestão fora do limites do Estado. A estatal de saneamento vem sendo usada pelo pré-candidato tucano à Presidência da República já há algum tempo. Aliás, ao que parece
    o objetivo não é ficar só na Sabesp. O governo paulista decidiu aumentar a verba de publicidade do conjunto da administração de R$ 166 milhões em 2008 para R$ 313 milhões neste ano.

    A intenção de usar verbas de empresas públicas para tentar influir na campanha política em 2010, fica evidente com a iniciativa da deputada tucana Célia Leão (PSDB) de apresentar Proposta de Emenda Constitucional (PEC 1/2008) autorizando “publicidade de qualquer natureza fora do território do Estado, para fins de propaganda governamental”. A proposta, que foi aprovada na Assembléia Legislativa no último dia 15 de outubro, segundo a deputada, seria para “promover o turismo”.


    fonte,jornal hora do povo.

    ResponderExcluir
  4. 07/05/2010

    Desembargador obriga Cabral a entregar documentos sobre o Metrô

    O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, através de decisão do desembargador Bernardo Garcez deferiu liminar contra o governador Sérgio Cabral, dando prazo de 10 dias, para que ele entregue os documentos da operação contratual entre o Estado e o Metrô Rio, que prorrogou por mais 20 anos a concessão.

    No seu despacho, o desembargador decidiu ainda que o governador Sérgio Cabral pagará multa diária de R$ 1.000 enquanto não entregar a documentação pedida.

    Os advogados tentaram obter a documentação, através de requerimento de informação, mas o governador se negou a atender o pedido. Diante deste fato, impetraram mandado de segurança contra o governador, no Órgão Especial. O processo tem o nº 0007561–27.2010.8.19.0000 e é o elo entre o escritório de Adriana Ancelmo Cabral, mulher do governador e o Metrô, para quem ela ilegalmente advoga.

    Quando receberem os documentos, os advogados vão propor uma ação, onde vão questionar, por que uma concessão (Metrô) que terminaria em 2018, foi prorrogada até 2038, apesar dos péssimos serviços que presta à população.

    Que vantagens o Estado obteve com esta prorrogação?

    E será a prova irrefutável de que o escritório de advocacia da mulher do governador é usado para negócios escusos, ferindo frontalmente a ética, a moral e a Lei.

    Fonte, Portal do Garotinho.

    ResponderExcluir
  5. Danilo Cabral de Aguiarsábado, 08 maio, 2010

    Comunicado Oficial

    Gostaria de informar oficialmente aos meus milhões de seguidores que neste ano eleitoral estarei apoiando para presidencia da República José Serra (PSDB) e Garotinho (PR) para governar nosso estado.

    P.S.: Os orgãos de imprensa e de radio-televisão podem publicar livremente meu comunicado.

    ResponderExcluir
  6. O importante é que a verdade seja disseminada e nosso País seja liberto dessa "onda vermelha maléfica" que nos assalta!


    NÓS PODEMOS MAIS!!!!

    ResponderExcluir
  7. Lulla toma como sua, até Escola Técnica inaugurada por JK.

    É bem a cara de PTrapaceiros mesmo!

    ResponderExcluir
  8. Em São paulo, várias pessoas aproveitam o transito engarrafado para pedir aos motoristas:
    - O Sr. pode ajudar? o José Serra foi sequestrado e os sequestradores disseram que se a gente não pagar eles vão queimar o José Serra.
    - E com quanto o pessoal tem contribuido? (pergunta o motorista)
    - Com dois litros de gasolina.

    ResponderExcluir
  9. O por quê será que Serra continua liderando nas pesquisas????

    ResponderExcluir
  10. BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil está construindo uma "poderosa" estrutura para a revitalização da indústria naval, afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta segunda-feira.
    "Nós estamos construindo uma poderosa estrutura para termos uma poderosa indústria naval neste país. Nós queremos ser exportador de sondas, de plataformas e de navios", disse Lula, no programa de rádio "Café com o Presidente."
    A afirmação ocorre poucos dias após a inauguração, em Pernambuco, do primeiro navio petroleiro construído no país em 13 anos. A embarcação, segundo o presidente, tem duas vezes e meia o tamanho do estádio de futebol Maracanã e leva o nome de João Cândido, marinheiro negro que liderou a Revolta da Chibata, no início do século 20.
    Lula lembrou que, na década de 1970, o Brasil era o segundo país em produção de navios, posição perdida ao longo dos anos.
    "Em 2000, nós tínhamos apenas 1.900 trabalhadores na indústria naval, na década de 1970 nós tínhamos 50.000 trabalhadores, e agora nós temos 45.000 trabalhadores outra vez", comparou, usando como referência o ano de 2000, quando Fernando Henrique Cardoso era o presidente.

    Como vantagens da revitalização da indústria naval, Lula citou a geração de empregos, o uso do aço produzido no país --o que geraria postos de trabalho na indústria siderúrgica-- e a economia do que seria pago a navios estrangeiros pelo transporte de cargas brasileiras.

    "Ou seja, há 'n' vantagens da gente produzir navio aqui."

    O presidente destacou que ainda está previsto, no Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (PROMEF), o lançamento de mais um navio no Rio de Janeiro e outro em Pernambuco.

    ResponderExcluir
  11. Os jornais mostram hoje, que o governador Sérgio Cabral mandou dizer por sua assessoria, que não comentaria as declarações do presidente do PT, José Eduardo Dutra de que Dilma Rousseff subirá nos dois palanques, meu e dele, e que não pediria voto para nenhum dos dois. Dutra também disse que Cabral era ciumento por não querer Dilma no meu palanque.

    O jornal O Globo, mentiu mais uma vez ao dizer que “Garotinho vem tentando impor condições ao apoio a Dilma”. Não fui eu quem impôs condições a Dilma. Isso todos sabem. O PR apenas decidiu que tem que haver reciprocidade. Isso não é uma coisa lógica?

    Quem impôs condições e inclusive, bêbado chantageou Dilma foi Cabral, no carnaval, quando disse que se ela subir no meu palanque “nem a sua mulher vota nela”.

    Me contaram que Cabral ontem, soltou impropérios contra Dutra, como é bem seu estilo. Pelo relato que ouvi, as frases mais light foram: “Só podem estar de sacanagem!” e “Ciumento é o ....”.

    ResponderExcluir
  12. 19/5/2010 13:22:09
    Dilma garante presença em palanque de Garotinho, no Rio

    Por Redação - do Rio de Janeiro

    Presidente do PT, José Eduardo Dutra reforçou nesta quarta-feira, em entrevista a jornalistas, que a pré- candidata à Presidência Dilma Rousseff estará presente no palaque do candidato ao governo do Estado do Rio, Anthony Garotinho, arqui-rival político do concorrente e atual governador, Sérgio Cabral, "desde que sua agenda seja compatível com o evento". A declaração, segundo fonte na direção do Partido da República (PR), acalma os ânimos de Garotinho, que chegou a sinalizar o apoio ao candidato da oposição, José Serra (PSDB), na disputa presidencial, uma vez que Dilma teria Cabral como seu único aliado no Rio.

    – Isto vale para o Rio e para os outros Estados. Mas vale para os candidatos, não para o presidente Lula –, afirmou Dutra, no intervalo do Fórum Nacional, em curso no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), pela manhã. Ele esclarece que o presidente da República escolheu o palanque de Cabral, no Rio, e não comparecerá a qualquer evento promovido por Garotinho.

    ResponderExcluir
  13. 20/05/2010 16:35

    Joaquim Levy pula fora do barco de Cabral



    “Homem ao mar!” Se fosse nos tempos de Cabral, o descobridor do Brasil, do alto de mastro central de sua nau, naquele cesto de observação (gávea), o vigia gritaria esse alerta.

    Mas estamos falando do outro Cabral. No caso o “homem ao mar” é o secretário de Fazenda, Joaquim Levy que está deixando o governo e voltando para Washington, onde mora sua família.

    Segundo a colunista Flávia Oliveira, de O Globo “nos bastidores, comenta-se que Levy pediu exoneração após se desentender com o governador”.

    É claro que os dois, seguindo o script, negam de todas as formas. Mas de fato ambos se desentenderam. Pelo que eu soube, Levy não teria topado uma jogada que envolve uma grande empresa devedora de ICMS. Teria dito a colaboradores que era irresponsabilidade e não iria sujar seu nome colocando sua assinatura. Sai ele e leva junto alguns assessores diretos. Preferiu pular fora do barco de Cabral. Daqui pra frente vocês verão que outros também vão abandonar o barco quando sentirem que o naufrágio é iminente.

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item