Itaguaí: Obras e Educação em destaque, Saúde e Trânsito lamentáveis

Resultados das enquetes: Dentre estes, que serviço público prestado pela Prefeitura você acredita que MELHOR está sendo oferecido? Saúde...

Resultados das enquetes:

Dentre estes, que serviço público prestado pela Prefeitura você acredita que MELHOR está sendo oferecido?

Saúde - 8%
Educação - 37%
Obras - 54%

Trânsito - 6%
Limpeza Urbana - 14%
Outro - 10% - Todos - 9%

Dentre estes, que serviço público prestado pela Prefeitura você acredita que PIOR está sendo oferecido?

Saúde - 60%
Educação - 23%
Obras - 16%
Trânsito - 41%
Limpeza Urbana - 16%
Outro - 5% - Todos - 8%

Nem precisa fazer muita análise sobre essa enquete pois os números já dizem tudo.

Vamos ao debate!!!!

Postar um comentário

  1. Com o fim das obras, eu acho que o trânsito de Itaguaí vai melhorar e muito.

    Mas e a saúde, quando será que poderemos ter uma espectativa de melhora?

    Na saúde não será uma obra com cimento e tijolo, nem asfalto que vai mudar. Acredito que só com melhores salários e melhor organização é que pode mudar alguma coisa...

    ResponderExcluir
  2. Danilo Cabral de Aguiardomingo, 16 maio, 2010

    Acho um erro, a prefeitura jogar todas as suas cartas na UPA da Ponte Preta(!), um dos raros casos positivos da Prefeitura de Seropédica é a manuntenção de Postos de Saúde 24H (como o de Piranema, KM 40, São Miguel, Santa Sofia, Jardim Maracanã e outros).

    Em nossa cidade, se não estou enganado, se alguém precisar de uma emergência, tem necessariamente que se deslocar para o centro da cidade!

    Já em relação as obras, uma coisa que ainda niguém falou é em relação a manuntenção das obras já realizadas. Noto que a estrutura govenamental de Itaguaí não está acostumada a fazer a manunteção de ruas e praças.

    Talvés, por não ter a experiência de manter em bom estado de conservação um número cada vez maior de localidades urbanizadas no município.

    ResponderExcluir
  3. Educação 37% - Tudo bem, temos prédios, transportes para os alunos, profissionais da educação. Mas e a qualidade do ensino? O baixíssimo salário que os funcionários da educação recebem?

    Acorda itaguaí!!!!

    ResponderExcluir
  4. O salário médio do professor brasileiro em início de carreira é o terceiro mais baixo em um total de 38 países desenvolvidos e em desenvolvimento comparados em um estudo da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) divulgado no sábado em Paris.

    Segundo o estudo, apenas Peru e Indonésia pagam salários menores a seus professores no ensino primário - que equivale a 1ª à 6ª série do ensino fundamental - do que o Brasil. O salário anual médio de um professor na Indonésia é US$ 1.624. No Peru, esse valor chega a US$ 4.752. No Brasil é de US$ 4.818. O valor no Brasil é metade do encontrado nos vizinhos Uruguai (US$ 9.842) e Argentina (US$ 9.857) e muito abaixo da média dos países desenvolvidos, onde o maior salário nesse nível de ensino foi encontrado na Suíça (US$ 33.209).

    O resultado do Brasil melhora um pouco quando se compara os salários no topo da escala de professores do ensino médio. Nesse nível de ensino, há sete países que pagam salários mais baixos do que o Brasil, em um total de 38.(...)

    Segundo a Unesco, o estudo deixa claro que em países em que as condições de trabalho dos professores são boas, a qualidade da educação tende a ser melhor.

    ResponderExcluir
  5. O levantamento considerou o piso inicial de um professor estadual com licenciatura plena (ensino superior). Conforme a CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), 25% dos docentes do país estão em início de carreira. Em São Paulo, segundo a secretaria, também são 25%.

    Ao contestar o primeiro ranking publicado (sem gratificações), Serra afirmou também que, apesar de São Paulo ter o maior Orçamento absoluto do país, o Estado possui um valor disponível por habitante inferior ao do Acre, o que possibilita ao governo do Norte pagar melhor seus docentes.

    Cinco dos nove Estados que pagam melhor que a rede paulista, entretanto, têm um Orçamento por habitante inferior ao de São Paulo.

    É o caso, por exemplo, do Maranhão, que tem um Orçamento por habitante de R$ 817 e paga R$ 16,61 por hora ao professor iniciante. São Paulo, que paga R$ 10,80, tem um Orçamento por habitante de R$ 2.047. Os outros Estados nessa situação são Alagoas, Amazonas, Mato Grosso do Sul e Pará (veja quadro ao lado).

    Os dados foram obtidos a partir do cruzamento dos orçamentos estaduais executados em 2006, tabulados pela Secretaria do Tesouro Nacional, e a população residente nas unidades da federação, de acordo com a Pnad 2006 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE.

    O governo Serra diz ainda que é preciso ponderar que Estados novos, como Roraima, têm despesas pequenas com aposentadorias.

    (Folha de S. Paulo)

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item