Coligação PSOL-PCB no RJ

O candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo P-SOL , Jefferson Moura , disse nesta terça-feira (22), que é necessário resgatar o Sistema Ún...

O candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo P-SOL, Jefferson Moura, disse nesta terça-feira (22), que é necessário resgatar o Sistema Único de Saúde (SUS) para que a população não tenha que buscar alternativa nos planos de saúde privados. E reformar os Centros Integrados de Educação Pública (CIEP’s), construídos no primeiro governo Leonel Brizola (1982-1986) e idealizados pelo antropólogo Darcy Ribeiro.

O candidato disse também que a emenda Ibsen Pinheiro, que modifica a partilha dos royalties do petróleo, “é um absurdo e o Rio entraria em colapso com tal medida”. Moura ainda garantiu que o estado do Rio deveria investir mais em educação e saúde pública.

O candidato fez as afirmações durante a convenção estadual do partido, na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro. O jornalista Milton Temer é o candidato do partido a uma vaga ao Senado. Cerca de 100 pessoas compareceram à Câmara dos Vereadores, onde o partido apresentou também os candidatos aos cargos proporcionais.

Segundo Moura, é importante modificar a política no Brasil. “Eu quero lutar contra a velha política praticada no Brasil. Mudar um pouco os mesmos nomes que vencem as eleições. Somos contra a corrupção que desvia tanto dinheiro em todas as esferas de governo”.

Milton Temer segue o mesmo discurso de Moura. “O Rio não pode continuar representado no Senado pelos mesmos que sempre estão lá. Por este motivo, eu me candidatei, pois tenho absoluta transparência em minha candidatura”.

No próximo dia 30, o P-SOL lançará a candidatura oficial a Presidência da República de Plínio Arruda Sampaio em Convenção Nacional, que vai ocorrer na Assembléia Legislativa de São Paulo.

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/06/22/politica,i=198929/CANDIDATO+DO+P+SOL+AO+PALACIO+GUANABARA+QUER+REFORMAR+OS+CIEPS+DE+BRIZOLA.shtml

Postar um comentário

  1. ´´A irreversível decadência dos tucanos´´

    Bancada dos tucanos encolhe cada vez mais
    Desmoralizados pelas denúncias de corrupção em São Paulo, em queda livre nas pesquisas eleitorais, com 23 supostos “candidatos” a vice que não aceitaram perder junto com José Serra, sem possibilidades de grandes vitórias para governos estaduais e cadeiras no senado, o tucanos vêem a queda lenta, gradual, persistente e segura do número de deputados federais.
    Em 1998, o PSDB tinha 84 deputados federais; foram apenas 59 em 2002; em 2006 eles não passaram de 48, ou seja, menos de 10% da Câmara dos Deputados. Os melhores prognósticos dos próprios tucanos indicam que o PSDB não deverá eleger mais de 35 deputados federais nas eleições de outubro e não mais que 4 senadores, aí computadas derrotas tidas como certas: Tasso Jereissati (CE) e Aloysio Nunes Ferreira (SP), dentre outros caciques da decadente legenda de FHC.
    A traição ao povo brasileiro, a falência dos sistemas de educação e saúde durante os governos de FHC, Serra e Alckmin, estão custando caro ao partido mais elitista e reacionário da história brasileira, até mais que a extinta UDN.
    Enquanto partidos como o PT, PCdoB, PDT e PSB trabalham com dados e pesquisas que apontam para crescimento significativo de suas bancadas no Legislativo, o PSDB torna-se uma caricatura de sí mesmo, desmoralizado, sem povo, sem votos, sem futuro e sem dignidade.
    O povo é sábio!!!

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item