Falta de consciência política: 30% dos brasileiros já esqueceram em quem votaram para federal

Informa o jornalista Fernando Rodrigues: “Eis aqui um sinal do Brasil profundo: 30% dos eleitores brasileiros já se esqueceram o nome do ca...

Informa o jornalista Fernando Rodrigues:

“Eis aqui um sinal do Brasil profundo: 30% dos eleitores brasileiros já se esqueceram o nome do candidato a deputado federal para o qual deram o voto –a menos de 20 dias.

Os dados são de pesquisa Datafolha realizada em todo o país nos dia 14 e 15 de outubro.

A situação é igualmente desoladora no caso do Senado: 28% dos eleitores já não se lembram em quem votaram para pelo menos uma das vagas de senador (havia duas em disputa).”


Está posto aí o nível de consciência política do brasileiro.

Deplorável.

Tem de existir um esforço nacional dos conscientizados e da sociedade civil como um todo em busca de uma maior cidadania.

Afinal, a política influi no futuro de todos. Não se enxergar isso é ignorar parte integrante daquilo que constrói os rumos de sua vida.

O Perspectiva tenta fazer sua parte, mas os meios mais influentes precisam também urgentemente fazer por onde.

E sem aproveitar o ensejo para doutrinar, ressalte-se.

No fim das contas, os brasileiros têm que refletir mais sobre o voto simplesmente por ser ele que decide quem comandará não só a política internacional mas também o preço da carne, não só o direcionamento ideológico do governo mas também o desenvolvimento do saneamento básico.

Em suma, não só o que está distante da realidade diária, mas também muito do cotidiano sofrido da maioria.


http://perspectivapolitica.com.br/2010/10/20/falta-de-consciencia-politica-30-dos-brasileiros-ja-esqueceram-em-quem-votaram-para-federal/

Postar um comentário

  1. O Brasil é o país dos paradoxos.

    Nós temos o sistema eleitoral mais seguro do mundo, no entanto, elegemos os políticos mais corruptos.

    ResponderExcluir
  2. Serra sabia do dossiê do Estado de Minas e conhecia Amaury desde 2008

    O jornal mineiro Hoje em Dia, traz reportagem reveladora sobre o chamado dossiê a respeito de José Serra.
    Começou em 2008:
    - Antes de se decidir os possíveis candidatos à Presidência, no início de 2008, um dossiê começou a ser montado em Belo Horizonte. A intenção era de levantar a movimentação financeira das empresas Decidir.com., com sede nas Ilhas Virgens, e Patagon, na Argentina.
    - Jornalista com vínculo profissional com o jornal “Estado de Minas”, Amaury Ribeiro Júnior foi o responsável pelo levantamento do material, com base na CPI do Banestado, em 2003. A CPI investigou a evasão de divisas do Brasil para paraísos fiscais entre 1996 e 2002, num total de cerca de US$ 84 bilhões.
    Amaury manteve contato com Serra
    - Durante a produção do dossiê, o jornalista manteve o contato com José Serra, em São Paulo, depois de fazer todas as apurações das movimentações das duas empresas. A Decidir.com e Patagon eram das sócias Verônica Serra, filha de Serra, e de Verônica Dantas, irmã do banqueiro Daniel Dantas, dono do Banco Opportunity.
    “Não mexa com Minas, que Minas reage”
    - Com o conhecimento do dossiê, Serra viajou para Belo Horizonte para participar das comemorações dos 80 anos do jornal “Estado de Minas”, em 2008 (foto). Além dele, outro governador presente foi José Roberto Arruda, do Distrito Federal, cotado para ser o vice indicado pelo DEM numa chapa com o PSDB.

    O assunto dominante na noite era o recado claro a José Serra, dado inclusive, indiretamente, no discurso de um dos diretores do jornal, que garantiu: “Não mexa com Minas, que Minas reage” – referência à possível espionagem de Marcelo Itagiba (para Serra) contra Aécio Neves.
    - No final do ano passado, quando os nomes da corrida presidencial estavam praticamente definidos, o jornalista deixou o jornal. A notícia do dossiê chegou à cúpula tucana. O caso foi abafado.

    ResponderExcluir
  3. ( parte II )
    Acontecimentos de 2009
    - As declarações de renda dos tucanos foram encomendadas pelo jornalista Amaury Ribeiro Júnior. Ele não só fazia a encomenda dos dados obtidos ilegalmente em agências da Receita em São Paulo, mas ia a capital paulista buscar os documentos. As viagens eram pagas pelo jornal ou por um funcionário do jornal.
    - Amaury confirmou que pagou R$ 12 mil ao despachante Dirceu Rodrigues Garcia, que trabalha em São Paulo. A PF não sabe de onde saiu o dinheiro.
    - Garcia confirmou que Amaury pagou pelos dados do genro de José Serra, Alexandre Bourgeois, do dirigente tucano Eduardo Jorge, das sócias Verônica Dantas e Verônica Serra, além de outros integrantes do PSDB.
    - O jornalista decidiu fazer a investigação depois de descobrir que o deputado Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) estaria comandando um grupo de espionagem a serviço de José Serra para devassar a vida do ex-governador Aécio Neves que tinha a intenção de disputar a Presidência.
    - Amaury deixou o emprego no jornal, no final de 2009.
    Acontecimentos de 2010
    - O delegado afirmou à polícia que foi chamado para cuidar da segurança do escritório do jornalista Luiz Lanzetta, responsável, até então, pela coordenação de comunicação da campanha de Dilma. Lanzetta deixou a campanha em junho, após a revelação do caso, negando que teria participado da criação do dossiê.
    - Amaury Ribeiro Júnior se encontrou em abril com Luiz Lanzetta, responsável, até então, pela coordenação de comunicação da campanha de Dilma Rousseff à Presidência.
    - Amaury confirmou que, durante o período em que ficou em Brasília, negociou com a equipe da pré-campanha de Dilma Rousseff.
    - A notícia de que Lanzetta participava da montagem do dossiê fez com que a direção do PT o afastasse. Ele deixou a campanha em junho, após a revelação do caso, negando participação na reunião dos documentos, que havia começado em 2008.
    - Até o final de 2009, o levantamento em torno da movimentação de recursos feita pelas empresas da filha de Serra e da irmã de Dantas já estava concluído. Em nota, a PF afirma que ficou constatado que os dados do dossiê foram utilizados para elaboração de relatórios, “mas não foi comprovada sua utilização na campanha política”. (Do Jornal Hoje em Dia.)

    ResponderExcluir
  4. sábado, 23 de outubro de 2010
    (O desprezo pelo povo)
    Jorge Folena
    Parece que o PSDB não tem nenhum apreço pelo povo ou por suas manifestações. Tanto é que, em 21 de junho de 2007, propôs no Supremo Tribunal Federal a Ação Direta de Inconstitucionalidade n° 3908, por meio da qual pretendia eliminar, se possível fosse, a manifestação popular prevista na Constituição quanto ao referendo, em relação a atos administrativos. Pasmem!
    O fundamento da ação é que a vontade da maioria tem limitação e não deve ser atendida em sua plenitude. O partido afirma ainda, em sua fundamentação, que o plebiscito e o referendo são formas de manifestação da democracia “semi-direta”, quando se sabe que tais instrumentos constituem a forma direta do povo se manifestar, sem intermediários, pois estes, uma vez eleitos, não representam os interesses de seus mandatários.
    Ora, eles acreditam que a vontade do povo não pode revogar um ato jurídico “perfeito”, mesmo que contrário às leis e à soberania popular.
    A propositura de tal ação no STF revela o desprezo que os dirigentes do PSDB têm por sua gente e seu país.
    A agremiação partidária tem em sua denominação o termo “DEMOCRACIA” e entre seus objetivos “o exercício democrático participativo” (art. 2º do seu Estatuto), onde se incluiu o referendo.
    Pelo visto, o PSDB, ao apresentar a referida medida judicial, deixou de levar em conta não apenas o seu Estatuto, mas também a vontade das pessoas de seu País, esquecendo que “todo poder emana do povo e em seu nome deverá ser exercido”.
    Surpreendentemente, no curso do processo foi revelado um fato gravíssimo, que levou o relator, Ministro Joaquim Barbosa, a determinar o arquivamento, sob o fundamento de que “a presente ação direta presta-se exclusivamente à defesa de interesses particulares concretos.”
    Um partido político, que recebeu pela Constituição de 1988 (art. 103, VIII) o múnus de propor ação direta de inconstitucionalidade para defender a coletividade ou a ordem social, não poderia jamais patrocinar questões particulares, como registrou o relator originário do processo, colocando em jogo interesse “concreto e delimitável: a sustentação de alvará concedido pelo Município de Fortaleza à empresa Jereissati Centros Comerciais S/A.
    Além disso, conhecer da presente ação seria trazer à Corte uma discussão que está sendo tratada pela Justiça do Ceará. Não me parece existir qualquer razão para interceptá-la neste momento.
    Anoto ainda que a legitimação processual dos partidos políticos só é ampla e irrestrita, na interpretação dessa Corte, quando atuam, no rito processual da ação direta, ‘como corpos intermediários, posicionando-se, nessa particular condição, entre a sociedade civil e a sociedade política’ (ADI 1.096-MC, rel. min. Celso de Mello, RTJ 158/441). A legitimação ampla não pode resultar na transformação desta Corte em um tubo de ensaio para a afirmação de interesses concretos ou individuais.
    Do exposto, indefiro a inicial (art. 4º, Lei 9.868/1999).”
    Portanto, a propositura da ação judicial em questão atentou contra os princípios da moralidade e impessoalidade, resultando igualmente numa agressão direta ao artigo 1º da Lei dos Partidos Políticos (Lei 9.096/95), que dispõe que eles devem defender os direitos fundamentais definidos na Constituição. Entre estes se destaca o referendo (art. 1º, § único c/c o art. 14, II), instrumento da democracia participativa.
    Conclui-se então que o PSDB, autor da Ação Direta de Inconstitucionalidade em questão, é um Partido distante do povo.

    ResponderExcluir
  5. (CANDIDATURA DE DILMA RECEBE APOIO DE PRÊMIO NOBEL DA PAZ)
    Fundador do Serviço Paz e Justiça na América Latina e ganhador do Prêmio Nobel da Paz pela defesa dos Direitos Humanos no continente, o argentino Adolfo Pérez Esquivel manifestou, através de correspondência, apoio a candidatura de Dilma Roussef a presidência do Brasil.Em sua nota Esquivel afirmou ser“importante que o povo tenha clareza e informação a favor da vida.” Ao tomar conhecimento do manifesto ecumênico promovido pelos Bispos do Brasil e lideranças religiosas evangélicas em favor de Dilma, fez chegar sua imediata adesão ao documento por meio de Ivete Caribé da Rocha, advogada e dirigente do SERPAJ no Brasil.
    Segundo a nota, Esquivel afirma que está seguindo com muito interesse a campanha eleitoral no Brasil e “o que acorra aí, terá repercussão no fortalecimento e na construção democrática em todo o continente. Apoio decididamente a Dilma Roussef e espero que a decisão do povo seja a correta, em defesa da vida e da dignidade.”
    Por Júlio Rocha – Brasília
    JP 3766/DF

    ResponderExcluir
  6. CHAUI: ” TUCANOS ARTICULAM VIOLÊNCIA PARA CULPAR O PT “ Autor: Carlos Honorato
    São Paulo – A filósofa Marilena Chaui denunciou nesta segunda-feira (25) uma possível articulação para tentar relacionar o PT e a candidatura de Dilma Rousseff à violência. De acordo com ela, alguns partidários discutiram no final de semana uma tática para usar a força durante o comício que o candidato José Serra (PSDB) fará no dia 29.
    Segundo Chaui, pessoas com camisetas do PT entrariam no comício e começariam uma confusão. As cenas seriam usadas sem que a campanhe petista pudesse responder a tempo hábil. “Dia 29, nós vamos acertar tudo, está tudo programado”, disse a filósofa sobre a conversa. Para exemplificar o caso, ela disse que se trata de um novo caso Abílio Diniz. Em 1989, o sequestro do empresário foi usado para culpar o PT e o desmentido só ocorreu após a eleição de Fernando Collor de Melo.
    A denúncia foi feita durante encontro de intelectuais e pessoas ligadas à Cultura, estudantes e professores universitários e políticos, na USP, em São Paulo. “Não vai dar tempo de explicar que não fomos nós. Por isso, espalhem.”
    Ela também criticou a campanha de Serra nestas eleições. “A campanha tucana passou do deboche para a obscenidade e recrutou o que há de mais reacionário, tanto na direita quanto nas religiões.”
    Em entrevista ao blog Escrevinhador, de Rodrigo Vianna, o jornalista jornalista Tony Chastinet, já alertava sobre possíveis técnicas utilizadas para associar o PT à violência.
    Em breve mais informações.
    ====================
    Carlos Honorato
    Retransmissão: 800 mil leitores
    ” EM 2002 COM LULA A ESPERANÇA VENCEU O MEDO ”
    ” EM 2010 COM DILMA A VERDADE VENCERÁ A MENTIRA ”
    VOTE 13 – DILMA PRESIDENTE

    ResponderExcluir
  7. FOLHA: SERRA DIRECIONOU LICITAÇÃO DO METRÔ/SP – É O “JEITO TUCANO DE GOVERNAR”
    outubro 26th, 2010 | Autor: Carlos Honorato
    Folha: Serra direcionou licitação do metrô/SP – é o “Jeito Maracutaia Tucano de Governar”!!!
    terça-feira, 26 de outubro de 2010
    Folha: Serra direcionou licitação do metrô/SP – é o “Jeito Maracutaia Tucana de Governar”!
    Metrô superfaturado e subdimensionado: custo/benefício altíssimo para os paulistas!
    Quanto rendeu pra campanha, questionamos nós, já que os valores vencedores foram acima do valor orçado pelo Metrô-SP?
    Como foi a licitação do Rodoanel trecho Sul? Também foi direcionada?
    O Paulo Preto fazia parte do “board” que promovia o direcionamento das licitações?
    Porque o Globo (G1) e a CBN até agora (12h) não repercutiram essa notícia da Folha, que é uma bomba na campanha do Serra?
    E o superfaturamento, quando é que se colocará o dedo nessa ferida?
    ***
    Matéria de hoje (26/10/10) da Folha de São Paulo – que resolveu romper com os demais veículos das Organizações Serra – mostra que a licitação do metrô de São Paulo foi direcionada, ainda quando Serra era governador.
    Diz a matéria:
    “A Folha soube seis meses antes da divulgação do resultado quem seriam os vencedores da licitação para concorrência dos lotes de 3 a 8 da linha 5 (Lilás) do metrô.
    O resultado só foi divulgado na última quinta-feira, mas o jornal já havia registrado o nome dos ganhadores em vídeo e em cartório nos dias 20 e 23 de abril deste ano, respectivamente.”
    Clique aqui, leia a matéria da FSP:
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/820054-resultado-de-licitacao-do-metro-de-sao-paulo-ja-era-conhecido-seis-meses-antes.shtml
    e assista o vídeo que mostra a maracutaia do Governo Serra:
    http://tvuol.uol.com.br/permalink/?view/id=resultado-de-licitacao-do-metro-de-sp-ja-era-conhecido-antes-04021C376ED89993C6/mediaId=6936778/date=2010-10-26&&list/type=tags/tags=2212/edFilter=all/
    Assista também: Opinião: caso de fraude no metrô é grave
    http://tvuol.uol.com.br/#view/id=opiniao-caso-de-fraude-no-metro-e-grave-mas-nao-e-novo-0402983570C0A193C6/mediaId=6940851/date=2010-10-26&&list/type=all/edFilter=all/sort=mostRecent/time=week/
    Augusto da Fonseca
    De: http://festivaldebesteirasnaimprensa.wordpress.com/2010/10/26/folha-serra-direcionou-licitacao-do-metrosp-e-o-jeito-maracutaia-tucana-de-governar/
    http://twitter.com/A_Fonseca13
    ====================
    Carlos Honorato
    Retransmissão: 800 mil leitores
    ” EM 2002 COM LULA A ESPERANÇA VENCEU O MEDO ”
    ” EM 2010 COM DILMA A VERDADE VENCERÁ A MENTIRA ”
    VOTE 13 – DILMA PRESIDENTE

    ResponderExcluir
  8. Brasil, o país dos paradoxos.

    Por Augusto Nunes

    No Brasil, professores universitários reverenciam o Mestre que não sabe escrever, escritores se ajoelham no altar do São Jorge de bordel que não lê, um Chico Buarque faz dueto com um Netinho de Paula para animar o solo do Exterminador do Plural, jornalistas louvam o Gênio que os trata a pontapés. É compreensível que esses intelectuais e artistas do rebanho tenham engolido sem engasgos uma candidata que não lembra o nome do livro que acabou de ler, não diz coisa com coisa, assassina todos os erres finais dos verbos, espanca a verdade de meia em meia hora e frequenta com inquietante regularidade o noticiário político-policial(...)

    Fruto do cruzamento da soberba com a ignorância, Lula ordenou aos brasileiros que elejam uma coisa dessas. Muitos milhões de homens sensatos disseram não. Os intelectuais e artistas da seita companheira reincidiram no amém. Eles sabem o que fazem.

    ResponderExcluir
  9. RAIZES13@yahoo.com.brquarta-feira, 27 outubro, 2010

    ´´Pesquisa interna GPP é divulgada após "conselhos" de Beto Richa
    Uma das maiores preocupações da oposição tem sido frear a debandada de aliados que, impressionados com pesquisas que apontam vitória de Dilma, começaram a abandonar a canoa furada de Serra.´´ Para remediar o estrago, o próprio presidenciável foi consultar o governador eleito do Paraná, Beto Richa (PSDB), para saber como lidar com a situação. A campanha de Richa, no primeiro turno, conseguiu censurar sucessivas pesquisas que mostravam avanço do adversário de Richa, Osmar Dias (PDT).
    Richa disse a Serra que a estratégia de esconder as pesquisas foi decidida pelo comando da campanha na área de comunicação em conjunto com a área jurídica e tinha como objetivo estancar a perda de aliados. O preço pago pela decisão foi a perda de votos de eleitores incomodados com a censura, mas os votos perdidos não foram suficientes para impedir a vitória do tucano no primeiro turno com 52% dos votos.

    A partir da conversa com Beto Richa, Serra descartou a hipótese de tentar censurar os levantamentos, mas surgiu a idéia de colocar na praça números mais favoráveis ao tucano. Para isso, a oposição recorreu ao desconhecido instituto GPP, fundado em 1991, e que atua preferencialmente no ramo de pesquisas empresariais. O GPP é ligado ao ex-prefeito do Rio, Cesar Maia (DEM).

    Para poder ser divulgada, a pesquisa GPP teve que ser registrada na Justiça Eleitoral. O registro foi feito em nome do próprio candidadto a vice na chapa de Serra, deputado Índio da Costa (DEM-RJ).

    Trata-se de uma pesquisa interna realizada entre os dias 23 e 25 deste mês. Segundo o levantamento, contando apenas os votos válidos, Dilma Rousseff (PT) tem 53,1% contra 46,8% de José Serra (PSDB). A margem de erro é de 1,8 ponto para mais ou para menos.

    A pesquisa foi protocolada no TSE com o número 37219/2010.

    ResponderExcluir
  10. RAIZES13@yahoo.com.brquarta-feira, 27 outubro, 2010

    ´´O que a Bolívia fez para José Serra?
    Depois de chamar a Bolívia de Paraguai em mapa dos livros didáticos paulistas, o tucano José Serra agora quer exterminar de vez as nossas relações com o país vizinho.´´
    No programa da rádio Globo do Rio de Janeiro de ontem, comandado pelo apresentador Roberto (TU)Canázio, o candidato do retrocesso sai com mais uma contra os países do Mercosul. Ao “tentar” explicar o porquê da violência no Estado do Rio, Serra falou sobre o tráfico de armas e drogas.
    Para o tucano, o governo boliviano de Evo Morales é cúmplice dos traficantes: “A cocaína vem de 80% a 90% da Bolívia, que é um governo amigo, não é? Como se fala muito”, ironizou o pré-candidato. “Você acha que a Bolívia iria exportar 90% da cocaína consumida no Brasil sem que o governo de lá fosse cúmplice? Impossível. Quem tem que enfrentar esta questão? O governo federal”.
    É difícil de acreditar que alguém disposto a ser estadista cometa uma gafe destas sem mais nem menos. Para comprovar a veracidade dos fatos, clique aqui e ouça você mesmo a partir de 42’: 20”.
    O desastre de Serra imediatamente repercutiu mal. Este jornal boliviano comentou as declarações do tucano:
    O Ministro da Presidência de Evo Morales, Oscar Coca, afirmou que, se Serra sabe algo, ele deve seguir os trâmites legais para fazer a denúncia, senão ele será o cúmplice.
    Marco Aurélio Garcia, Assessor da Presidência para Assuntos Internacionais, rebateu hoje as afirmações de Serra: “Serra está tentando ser o Exterminador do Futuro da política externa. Ele já destruiu o Mercosul, agora quer destruir as nossas relações com a Bolívia. Eu acho que talvez ele esteja pensando que, numa política de cortes de despesa, ele venha a fechar umas 20 ou 30 embaixadas de países aos quais ele está insultando neste momento. Não me parece uma conduta prudente”.

    ResponderExcluir
  11. Metrô: turma do Serra teve US$ 10 milhões bloqueados na Suiça
    outubro 28th, 2010 | Autor: Jussara Seixas

    Que rabo preso tem José Serra com estes escândalos, para não apurar e não afastar as pessoas? São perguntas inquietantes que a nação brasileira quer saber.
    Publicada: 28/10/2010 – 01h02m|Fonte: Paulo Henrique Amorim|

    • Essa é sua turma “Ficha Limpa”, Serra ?
    Irmão do presidente do Metrô, na gestão Serra, teve US$ 10 milhões bloqueados na Suíça
    O escândalo de corrupção na licitação do Metrô de São Paulo, de certa forma, era anunciado, para quem acompanha a escalada de abafamento e impunidade da corrupção tucana em São Paulo.
    Em 2009, o ex-secretário estadual de transportes metropolitanos, Jorge Fagali Neto, teve uma conta na Suíça com pedido de bloqueio pela Justiça de São Paulo, devido ao rastreamento do dinheiro de propinas da Alstom, por contratos com o Metrô.
    Até o Jornal Nacional, da TV Globo foi obrigado a noticiar o sequestro das contas, mas escondeu que o irmão do titular das contas é o atual presidente do Metrô, desde a gestão José Serra no governo paulista.
    Mesmo assim, com esse pedido de sequestro dessa conta milionária na Suíça, o então governador José Serra manteve José Jorge Fagali na presidência do Metrô, o irmão de Jorge Fagali Neto.
    Por que José Serra abafou a corrupção no Metrô, no escândalo da Alstom?
    Por que impediu que CPI’s na Assembléia Legislativa investigasse?
    Por que não fez uma rigorosa auditoria no Metrô?
    Um irmão de alguém com 10 milhões de dólares bloqueados na Suíça, vindos de propinas justamente dos contratos com o Metrô, não deveria ser considerado impedido eticamente, para dirigir a empresa? E sem condições para mandar investigar internamente um escândalo destes contra seu próprio irmão?
    Que rabo preso tem José Serra com estes escândalos, para não apurar e não afastar as pessoas? São perguntas inquietantes que a nação brasileira quer saber.

    ResponderExcluir
  12. Serra pede que mineiras conquistem votos de seus pretendentes
    Autor:
    Rodrigo Bertolotto

    Enviado especial do UOL Eleições
    Em Uberlândia

    “Se você é uma menina bonita, tem que conseguir 15 votos. Pegue a lista de pretendentes e mande um e-mail. Fale que quem votar em mim tem mais chance com você”, pediu o presidenciável tucano, José Serra, diante de simpatizantes em Uberlândia (MG), nesta quinta-feira (28).

    Em sua terceira visita a Minas Gerais no segundo turno, o candidato inovou seu discurso ao pedir votos diante de um auditório animado em clube da cidade.

    O clima de festa foi garantido por grupos de batucada e fanfarra contratados, além de cerca de cinco ônibus vindos de Belo Horizonte com militantes, que recebem R$ 40 por dia. Para completar, Aécio Neves, senador eleito pelo PSDB-MG, causou gritos do público feminino e coro e cânticos do masculino.

    Notem o nível da campanha do Serra. Não pode ser mais baixo que isso. Não dá para acreditar que um candidato a presidente da república tenha essa mentalidade, seja tão vil, tão baixo, tão imoral, tão sujo. E ai povo de Minas, povo de Uberlandia? Pais e mães? Vocês vão permitir que o candidato Serra afronte impunimente a moral a conduta de suas moças e de suas meninas?

    ResponderExcluir
  13. "O maior castigo para quem não gosta de política é ser governado pelos que gostam." (Arnold Toynbee)

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item