Pelo pleno direito ao concurso

Jornal Atual , 29 de outubro de 2010. Dificuldades enfrentadas por estudantes que lutam contra calendário coincidente revelam o quanto a Ed...


Jornal Atual, 29 de outubro de 2010.
Dificuldades enfrentadas por estudantes que lutam contra calendário coincidente revelam o quanto a Educação precisa evoluir no país

Estudantes sem opção de escolher uma carreira intimamente afinada com suas vocações, por falta de vagas específicas na região, amargam ainda o dissabor de terem que optar por apenas uma instituição para prestar concurso de acesso ao nível técnico por causa da coincidência de datas das provas das duas mais procuradas instituições do gênero na região – o Colégio Técnico da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CTur) e o Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet). O problema vem atormentando várias famílias de Itaguaí, Seropédica e região, que se mobilizam para tentar reverter a situação.

O assunto foi tema de debate na Câmara Municipal de Itaguaí, na sessão de terça-feira (26), quando o vereador Márcio Pinto sugeriu o envio de ofícios ao diretor do CTur, Ricardo Crivano Albieri, e ao presidente da comissão do concurso, Luiz Thimóteo. "Não encontrei facilidade quando fiz um contato. É importante que a Câmara exerça o seu papel de defender os estudantes", disse.
Um grupo de alunos prejudicado pela coincidência de datas esteve ontem no ATUAL para manifestar indignação. Eles anteciparam que podem organizar um movimento em frente à unidade escolar, em Seropédica, para tornar pública a revolta de quem se sente prejudicado. Boa parte deles alegou tentar explicações junto à direção do CTur, mas não obteve sucesso.

Os estudantes alegam que a data do concurso só foi divulgada pelo CTur após o pagamento da taxa de inscrição, o que levou alguns deles ao desembolso duplo, de R$ 30, no caso do Cefet; e de R$ 40, no caso da unidade de Seropédica. O dilema envolve estudantes que tentariam vaga para o curso de mecânica no Cefet, tendo como opção a área de hospedagem, no CTur. A impossibilidade da dupla oportunidade hoje é motivo de preocupação não apenas para eles, mas também para os seus pais.

Diretor vê alternativa

Diretor do CTur, Ricardo Crivano Albieri conversou com o ATUAL. Ele considera impossível alterar a data da prova, alegando que já fez duas alterações anteriores devido ao choque de datas com provas do Colégio Pedro II e da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec). Segundo o diretor, a prova foi antecipada para novembro em virtude de um ajuste no fechamento do ano letivo do colégio e para que a classificação dos concursados seja feita e divulgada de forma mais tranquila. "Sempre tivemos problemas com a prova em dezembro, mês muito complicado por causa da formatura dos alunos e do fechamento do ano letivo. O nosso pessoal que trabalha na organização da formatura é o mesmo que trabalha na organização do concurso", disse. O professor Albieri, no entanto, vê uma alternativa. "O que podemos fazer para atenuar o problema é prorrogar nossa inscrição até o dia 19 de novembro. Com isso, quem não passou para a segunda fase do Cefet teria tempo de se inscrever", avaliou.

por Renato Reis

Postar um comentário

  1. RAIZES13@yahoo.com.brterça-feira, 09 novembro, 2010

    Lei Federal nº 7.398, de 04 de novembro de 1985

    Dispõe sobre a organização de entidades representativas dos estudantes de 1º e 2º graus
    e dá outras providências.
    O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e em sanciono a seguinte lei:
    Art . 1º Aos estudantes dos Estabelecimentos de Ensino de 1º e 2º graus fica assegurada a organização de Estudantes como entidades autônomas representativas dos interesses dos estudantes secundaristas com finalidades educacionais, culturais, cívicas esportivas e sociais.
    § 1º (VETADO).
    § 2º A organização, o funcionamento e as atividades dos Grêmio s serão estabelecidos nos seus estatutos, aprovados em Assembléia Geral do corpo discente de cada Estabelecimento de Ensino convocada para este fim.
    § 3º A aprovação dos estatutos, e a escolha dos dirigentes e dos representantes do Grêmio Estudantil serão realizadas pelo voto direto e secreto de cada estudante observando-se no que couber, as normas da legislação eleitoral.
    Art .2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
    Art .3º Revogam-se as disposições em contrário.
    Brasília, em 04 de novembro de 1985; 164º da Independência e 97º da República.

    JOSÉ SARNEY
    Marco Maciel

    ResponderExcluir
  2. RAIZES13@yahoo.com.brterça-feira, 09 novembro, 2010

    Grêmio Estudantil

    O que é o Grêmio Estudantil?

    O Grêmio é a organização que representa os interesses dos estudantes na escola. Ele permite que os alunos discutam, criem e fortaleçam inúmeras possibilidades de ação tanto no próprio ambiente escolar como na comunidade.

    O Grêmio é também um importante espaço de aprendizagem, cidadania, convivência, responsabilidade e de luta por direitos.

    Objetivos

    Por isso, é importante deixar claro que um de seus principais objetivos é contribuir para aumentar a participação dos alunos nas atividades de sua escola, organizando campeonatos, palestras, projetos e discussões, fazendo com que eles tenham voz ativa e participem – junto com pais, funcionários, professores, coordenadores e diretores – da programação e da construção das regras dentro da escola.

    Para resumir: um Grêmio Estudantil pode fazer muitas coisas, desde organizar festas nos finais de semana até exigir melhorias na qualidade do ensino. Ele tem o potencial de integrar mais os alunos entre si, com toda a escola e com a comunidade.

    Fonte: Caderno Grêmio em Forma, do Instituto Sou da Paz.
    Site: http://www.soudapaz.org/

    ResponderExcluir
  3. RAIZES13@yahoo.com.brterça-feira, 09 novembro, 2010

    ´´Grêmio Estudantil´´

    Faça parte desse grupo

    Participar é importante para poder transformar. Se não estamos satisfeitos com alguma coisa, podemos propor alternativas e participar na sua transformação. Se estamos contentes com algo, podemos participar na sua divulgação e contribuir para que outras pessoas aprendam com nossa experiência. Isso é exercício de cidadania.

    Por isso é muito importante aprendermos a participar organizadamente das atividades da sociedade, da nossa comunidade e da nossa escola. E a melhor forma de aprender a participar é participando, ou seja, aproveitando as oportunidades que aparecem ou mesmo criando-as.

    Quanto mais estimulamos a colaboração e a solidariedade dentro da escola e em nossa comunidade, mais estaremos participando da construção de uma cidadania ativa, consciente e responsável.

    Esse é o desafio do GRÊMIO LIVRE ESTUDANTIL.

    PARTICIPE!

    ResponderExcluir
  4. Saiba como criar um Grêmio Estudantil

    “Tudo o que acontece no mundo, seja no meu país, na minha cidade ou no meu bairro, acontece comigo. Então eu preciso participar das decisões que interferem na minha vida.”
    (Herbert de Souza)

    O QUE É GRÊMIO?

    Grêmio é a entidade representativa dos interesses dos estudantes de cada escola, que propõe a discussão e implementação de ações tanto no ambiente escolar quanto na comunidade à qual a escola pertence.

    O Grêmio Estudantil é uma iniciação dos jovens na gestão participativa da sociedade em que vivem. Quando verdadeiramente comprometida, a organização defende os interesses dos alunos, buscando parceria com todas as pessoas que participam do cotidiano escolar: diretores, coordenadores, professores etc. O grêmio poderá atuar em atividades culturais, esportivas, sociais, políticas e comunitárias.


    LEGISLAÇÃO

    Lei Federal 7.389 de 04/11/1985 - Dispõe sobre a organização de entidades representativas de estudantes de 1º e 2º Graus.

    Lei Federal 8.069 de 13/07/1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente, Art. 53 inciso IV – garante o direito dos estudantes de se organizar e participar de entidades estudantis.

    Lei Estadual 1.949 de 08/01/1992 - Assegura a livre organização dos estudantes.

    Resolução S.E. E 1.294 de 25/04/1986 - Aprova modelo de estatuto dos grêmios estudantis.

    ResponderExcluir
  5. GRÊMIO PASSO A PASSO

    Para formar o grêmio são necessários cinco grandes passos, todos extremamente importantes. Confira, com atenção, cada um deles:

    I – O grupo que pretende formar o grêmio comunica à direção da escola, divulga a proposta entre os alunos, convidando os interessados e os representantes de classe (se houver) para formar a Comissão Pró-Grêmio. Este grupo elabora uma proposta de estatuto que será discutida e aprovada pela Assembleia Geral.

    II - A Comissão Pró-Grêmio convoca todos os alunos da escola para participar da Assembleia Geral. Nesta reunião, decide-se o nome do grêmio, o período de campanhas das chapas, a data das eleições e se aprova o Estatuto do Grêmio. Nessa reunião também são definidos os membros da Comissão Eleitoral.
    Importante: A Assembleia Geral precisa ser registrada em ata.

    III - Os alunos reúnem-se e formam as chapas que concorrerão à eleição. Eles devem apresentar suas ideias e propostas para o ano de gestão no Grêmio Estudantil. A Comissão Eleitoral promove debates entre as chapas, abertos a todos os alunos.

    IV – A Comissão Eleitoral organiza a eleição (o voto é secreto). A contagem é feita pelos representantes de classe, acompanhados de dois representantes de cada chapa e, eventualmente, dos coordenadores pedagógicos da escola. No final da apuração, a Comissão Pró-Grêmio deve fazer uma Ata de Eleição para divulgar os resultados.

    V – A comissão Pró-Grêmio envia uma cópia da Ata de Eleição e do Estatuto para a direção da escola e organiza a cerimônia de posse da diretoria do Grêmio.

    A cada ano reinicia-se o processo eleitoral a partir do item III.


    GLOSSÁRIO

    COMISSÃO PRÓ-GRÊMIO: grupo de alunos interessados na formação do Grêmio. Atividades: divulgar a ideia do Grêmio na escola, elaborar o Estatuto do Grêmio e convocar a Assembleia Geral.

    ASSEMBLEIA GERAL: reunião de todos os alunos da escola para discutir e aprovar alguma proposta do Grêmio. É o órgão máximo de decisão do Grêmio Estudantil. Para garantir que a decisão da Assembleia Geral seja representativa, pelo menos 10% dos alunos matriculados na escola deverão estar presentes na reunião, do contrário, convoca-se outra Assembleia geral.

    ResponderExcluir
  6. COMISSÃO ELEITORAL: grupo formado por dois representantes de cada chapa, representantes de classes e coordenação pedagógica da escola. Será responsável por todo o processo eleitoral: fazer as cédulas com os nomes das chapas, providenciar a urna, contar os votos e divulgar os resultados.

    ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES (APM): é uma instituição auxiliar da escola, que tem como objetivo contribuir com o processo educacional e a integração família-escola-comunidade. Como a escola não tem autonomia para movimentar recursos financeiros diretamente, é pela APM que recebe e aplica recursos vindos da Secretaria de Educação ou resultante de festas, contribuições etc. É composta por, no mínimo, 23 pessoas (11 no Conselho Deliberativo, 9 na Diretoria Executiva e 3 no Conselho Fiscal).

    CONSELHO DE ESCOLA: O Conselho é o maior órgão de decisão da escola. É composto por 40% de professores, 25% de pais, 25% de alunos, 5% de especialistas e 5% de funcionários, eleitos no início do ano.

    MAIORIA SIMPLES DE VOTO: considerando o total de votos obtidos, vence quem receber o maior número de votos (metade mais um).

    QUÓRUM: número de pessoas presentes em uma reunião, assembleia ou discussão. Pode-se estabelecer um quórum mínimo, ou seja, um número mínimo de pessoas necessário para legitimar uma decisão.

    Existem três níveis de representação das entidades estudantis: as municipais, as estaduais e a federal. Elas são autônomas. No quesito nacional, a UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) representa todos os estudantes do Ensino Médio brasileiro.

    ResponderExcluir
  7. Grêmio Estudantil
    Como Organizar

    Todos juntos somos fortes: a comunidade

    O Grêmio Estudantil faz parte da comunidade escolar. Isso significa que
    ele participa da rede de atores envolvida com o cotidiano da escola e comprometida com seu dia-a-dia (diretores, professores, funcionários, pais, alunos etc.).

    Um Grêmio que estabelece uma boa rede de relações com os outros atores da comunidade escolar terá mais pessoas comprometidas com as ações que pretende realizar, e assim poderá ampliar o alcance e o impacto de suas iniciativas.


    POR ISSO, É IMPORTANTE:

    • Saber negociar com a direção da escola, mostrando sempre a importância e a necessidade daquilo que se pretende organizar.

    • Buscar o envolvimento dos professores nos projetos, pois eles podem contribuir de formas muito diversificadas e ricas nas ações do Grêmio.

    • Investir na comunicação do Grêmio: divulgar sempre e de diversas formas (por exemplo: por cartazes, rádio ou reuniões) as ações que o Grêmio realizou, está realizando e realizará.

    • Ouvir as sugestões que os alunos trazem. Afinal, não podemos esquecer que o Grêmio existe para representá-los. Mas vale a recomendação: quando uma sugestão não é viável, é muito importante comunicar os alunos sobre a inviabilidade da idéia, afinal eles têm o direito de saber o porquê.

    • Fazer parcerias com instituições (sociais, esportivas etc.) e estabelecimentos comercias da região: envolvê-los em gincanas, campanhas, ações sociais,
    culturais e políticas da comunidade. Uma dica importante: não esqueça nunca de divulgar o nome dos parceiros que colaboram com o projeto, é uma medida justa e estratégica para futuros apoios.

    • Nunca esquecer: sem trabalho em equipe não existe Grêmio! E sem Grêmio os alunos não podem explorar todas as suas idéias para mudar a escola.


    Fonte: Caderno Grêmio em Forma, do Instituto Sou da Paz.
    Site: http://www.soudapaz.org/

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item