Política em Debate (18/05/2011) - resultados

No Política em Debate de hoje (18 de junho de 2011) tivemos uma grande novidade: - Transmissão AO VIVO do Política em Debate . Pretendemos ...

No Política em Debate de hoje (18 de junho de 2011) tivemos uma grande novidade:

- Transmissão AO VIVO do Política em Debate. Pretendemos que os próximos sejam assim. Lembramos que ficou arquivado esse evento e que as pessoas podem assistir no espaço ao fim da postagem ou entrar na nossa Página no Livestream para assistir.

Além dessa grande novidade, tivemos um evento com bom número de participantes: 25 pessoas no local e mais 5 on line via Blog Política de Itaguaí.

O Debate girou em torno do tema: Apresentação de Propostas para Itaguaí

Foram apresentadas as seguintes ideias para debatermos via blog e nos próximos Política em debate:

- Desenvolvimento Sustentável e suas questões (Prof° Célio)
- Valorização da Cultura e da História de Itaguaí com políticas públicas e museus na cidade (Rodrigo Prata, Sergio Prata e Prof° Fabiano Bastos)
- Revisão do comportamento individual dos cidadãos itaguaienses (Pastor Aramis)
- Construção de um projeto para melhoria da educação em Itaguaí, baseada em experiências de cidades consideradas padrão na área da educação (Prof° Fabiano Bastos)
- Trabalho conjunto entre a Secretaria de Educação, Direções de Escolas, Professores, Pais de alunos, Conselho Tutelar e Juiz local, para construção de um projeto que vise educar de verdade os jovens de Itaguaí (Prof° Fabiano Bastos)
- Criação de uma Faculdade Municipal de Itaguaí (Rodrigo Prata)
- Diminuição da dificuldade para as pequenas empresas conseguirem o Alvará de localização e Legalização em Itaguaí (Sergio Prata)
- Separação das Secretarias de Educação e Cultura, criando uma secretaria independente para cada (Sergio Prata)

Vale a pena também citar algumas falas feitas por alguns participantes:

>> Sérgio Prata:
- Convidou para a Audiência Pública sobre a CSA (divulgaremos em breve aqui no blog);
- Cultura caiçara de itaguaí sendo eliminada pelo progresso;

>> Pâmela:
- Não viu ainda aspectos positivos no progresso que chegou a Itaguaí e a região;

>> Prof° Célio:
- Fez críticas a CSA e disse que Itaguaí praticamente não ganha nada da CSA;
- Para Itaguaí está sobrando somente os cargos de mão-de-obra barata;
- Nada em Itaguaí melhorou, somente piorou: educação, trânsito, ambiente...
- Cobrar uma compensatória ambiental da CSA para Itaguaí;

>> Rabi (amigo do Phillip):
- Disse que os currículos das pessoas de Itaguaí são muito fracos;
- Lamentou o fato da carência de Livrarias na cidade e da Biblioteca da cidade não ter livros técnicos;

>> Pastor Aramis:
- Em Itaguaí existe a falta de um pacto de compromisso entre o governante e a população;
- Problemas da cidade, derivados de:
* Desconheciemnto dos nossos direitos e crise de não sabermos nossos valores como cidadãos;
* A população nunca se mobilizou para conquistar espaços como os grandes empregos da CSA e demais empresas da região;
* Sem a população mudar o comportamento não existirá perspectiva de melhora;
* Devido essa fragilidade da população itaguaiense, o progresso vem e se aproveita;

>> Leandro Miranda:
- Indicou que uma boa compensatória da CSA e de outras empresas da cidade, seria investir na educação básica pois assim teríamos jovens com condições de renderem bem nos cursos técnicos e com condições maiores de ingressarem num curso de ensino superior.

>> Prof° Danilo Aguiar:
- Foi o grande defensor das questões que atinge a região de Piranema no evento, falando dos prob lemas derivados da implantação do Aterro Sanitário naquela região.
- Citou o fato dessa região encontrar-se em litígio e que Seropédica não poderia decidir nada sozinha.
- Lembrou a questão de que os caminhões da Comlurb, cheios de lixo, não passam por Seropédica para chegar ao lixão e que Itaguaí é quem vai ficar com o prejuízo do fluxo de caminhões e estradas destruídas pelo peso dos caminhões;

>> Rodrigo Prata:
- Criticou as ações voltadas para a cultura em Itaguaí;

>> Lucas:
- Reclamou da falta de maior divulgação das exposições e outras atividades ligadas a cultura;

Deixamos dessa forma, aberto o debate sobre as propostas apresentadas e sobre as falas dos participantes, como também deixamos o convite aberto para o próximo Política em Debate:

Tema: Apresentação de Propostas para Itaguaí - Educação e Cultura

Dia: 02 de junho - quinta-feira
Horário: 18h30min
Local: Célula 1 / GPI - Av Paulo Frontin (Calçadão), 217 lj 201, Centro, Itaguaí. (Em frente a Pizza Mille, em cima da Leleka Calçados)

Watch live streaming video from politicadeitaguai at livestream.com

Postar um comentário

  1. -" Diminuição da dificuldade para as pequenas empresas conseguirem o Alvará de localização e Legalização em Itaguaí (Sergio Prata)"

    Gostei da proposta do S.Prata com as instalações de grandes empresas no município o poder publico tem o dever de dar incentivos, jurídicos,fiscais, ambientais e local apropriado, as pequenas empresas e micros, boa parte dos postos de trabalhos são gerados pelas mesmas, ate o momento pouco se tem conhecimento de atos oriundo do poder publico,a estas intenções!

    ResponderExcluir
  2. Para pleitear a criação de uma Universidade Municipal em Itaguaí, é preciso melhorar a qualidade do ensino, mas não se qualifica ensino com baixos salários e com instalações prediais precárias.
    Qualificar o ensino é valorizar financeiramente o trabalho dos educadores, com recursos suficientes para que eles possam garantir suas subsistências e dos seus, desfrutar de momentos de lazer, bem como manterem-se atualizados (Plano de Cargos e Salários).
    As instalações prediais dos educandários precisam oferecer condições dignas de uso, tanto para os profissionais quanto para os alunos, considerando que nada se produz em condições degradantes.
    Constituir um plano de aulas único para todas as unidades de ensino municipais, bem como estabelecer um ranking profissional, devidamente gratificado, a partir da avaliação semestral dos alunos (PROVÃO), como forma de incentivar melhorias na qualidade da educação.

    ResponderExcluir
  3. A visão política dos Iluminados era algo próximo de um Estado onde reinaria o bem comum, sendo abolidos a propriedade, autoridade social e as fronteiras. Uma espécie de anarquismo superior, saudável e utópico, onde o ser humano viveria em harmonia, numa Fraternidade Universal, baseada na sabedoria espiritual, em franca Igualdade, Liberdade e Fraternidade.
    Segundo alguns historiadores, os discursos de Weishaupt iam de encontro aos poderes estabelecidos, quais sejam, esbarravam, em franca oposição, à Monarquia, como instituição política; a Igreja, como instituição religiosa e aos grandes proprietários, como instituição econômica. (Hoje, por todos esses ideais, Weishaupt seria facilmente taxado de “comunista”. Entretanto, na época, esse modelo político ainda não havia sido devidamente sistematizado, nem definido. Outro ponto que devemos levar em consideração, antes de simplesmente considerá-lo um comunista, é que, as bases Religiosas que moviam os Iluminados, provavelmente eram, mesmo que uma utopia, bem nobres e absolutamente contrária ao que hoje consideramos como sendo de natureza “comunista”).

    ResponderExcluir
  4. Itaguai Utopia, é uma concepção teórica de um estado perfeito onde se viveria em
    plena liberdade religiosa. Assim, para Morus, a sociedade de Utopia é a reação ideal à
    sociedade inglesa de seu tempo; é a cidade de Deus que ele contrapõe a cidade terrestre.

    As idéias de Morus demonstram que ele visava libertar os homens para o trabalho. Ao invés de lavradores sem emprego a correr as estradas, ele queria trabalho para todos; e ao invés de
    parasitas vivendo à custa de ricos, ele queria todos trabalhando. Deste modo esperava ele
    encurtar as horas de trabalho, dando a todos o dia de seis horas.

    Com tais idéias Morus se aproxima dos modernos socialistas, embora o seu enfoque não seja, exatamente, em direção ao futuro; o seu ideal traduzia o ideal medieval, comum a toda a teoria política do Ocidente. Afinal, desde São Tomás de Aquino que a comunidade cristã consiste de
    classes diferenciadas que exercem harmonicamente funções próprias, todas necessárias ao bem comum. Essa é a sociedade ideal da Utopia de Thomas Morus.

    A Utopia de Morus é uma obra que apesar de ter sido pensada no mundo do período
    renascentista, apresenta questões bem atuais, anseios de acomodação e resolução de problemas
    que ainda hoje são vividos pelas sociedades da América Latina, África, Ásia e Terceiro Mundo
    em geral. A ausência da miséria, do desemprego, das taxas altas e a valorização do trabalhador
    são algumas das principais metas que já naqueles tempos se procurava, se desejava alcançar
    e que perduram ainda hoje sem que sejam concretizadas:

    “Eis o que invencivelmente me persuade que o único meio de distribuir os bens com igualdade e justiça, e de fazer a felicidade do gênero humano, é a abolição da propriedade. Enquanto o direito
    de propriedade for o fundamento do edifício social, a classe mais numerosa e mais estimável não
    terá por quinhão senão miséria, tormentos e desesperos.” (MORUS, 1516, p.71)

    ResponderExcluir
  5. Lamento profundamente não ter comparecido. Não fosse outro compromisso...

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item