Sindicalista quer orçamento participativo na prefeitura de Itaguaí

Jornal Atual, 08 de julho de 2011. Chegamos ao mês de julho, completando o primeiro semestre do ano, e a cena para as próximas eleições já...

Jornal Atual, 08 de julho de 2011.
Chegamos ao mês de julho, completando o primeiro semestre do ano, e a cena para as próximas eleições já começam a se descortinar no município. Desta vez, o Atual entrevista um sindicalista engajado ao Partido dos Trabalhadores (PT) que quer levar sua experiência para dentro da prefeitura. Desde os 14 anos de idade, Paulo Cesar Neves da Silva, diz que tomou gosto pela defesa dos ideais e melhorias nos locais de trabalho ao entrar como menor aprendiz no Banco do Brasil. Trabalhou depois na Caixa Econômica, foi camelô em Santa Cruz até ingressar novamente sob concurso para os Correios. Sua história se confunde com a de outros sindicalistas, mas é recheada de ações que quer ver implementadas, caso se torne o próximo chefe do Executivo da cidade. Para isso, se lançará a candidato a candidato a prefeito pelo PT.

O senhor diz que começou bem pequeno, no Banco do Brasil, em 78. Como se explica?

Ingressei no banco como menor aprendiz e já via as dificuldades dos trabalhadores com menores salários, e foi nessa época que conheci alguns companheiros. Não fiz carreira no banco, depois fui para a Caixa através de concurso, e mais tarde trabalhei como camelô em Santa Cruz por dez anos, onde construí minha vida financeira. Hoje eu coordeno uma área de Realengo a Santa Cruz, como suporte técnico pelos Correios.

Que lembranças o Sr. tem da época de camelô?

Uma lembrança que tenho é a Guarda Municipal chutando os camelôs. Isso na época do prefeito Cesar Maia. E tinha uma senhora com um tabuleiro vendendo doce na calçada, e ela levava feijão, arroz e uma mistura para comer. E no dia que um guarda ia chutá-la eu comprei a briga dela. E ali, defendendo o interesse das pessoas, me colocaram como líder dos camelôs, quando me sentei com o Conde (prefeito Luís Paulo Conde) para defender aquela gente, formada por trabalhadores como os outros e que compravam suas mercadorias com notas e pagavam impostos.

A sua ligação com o PT vem dessa época?

Eu sou petista desde quando o PT surgiu, mas nunca me filiei, pois eu não precisava ser petista para concordar com a democracia, socialismo e defender os interesses dos menos favorecidos. Quando ingressei nos Correios me vi na necessidade de filiar-me ao PT, e foi até engraçado. Quando cheguei lá nos Correios, eu tinha uma imagem de uma empresa limpa e sólida e que tratava os funcionários com respeito. Mas não foi isso que vi. Eu vi o desrespeito e um chefe falando com arrogância. Eu esperei pelo meu contrato de trabalho e foi então que comecei a defender os trabalhadores que eram humilhados.

Foi aí que cresceu mais ainda sua fama de sindicalista?

Daquele dia em diante o meu nome se espalhou, e os trezentos homens que eram humilhados fizeram até uma festa para mim. Hoje eu discuto a nível nacional dos Correios a questão de indicação do diretor regional, plano de saúde para os aposentados. Hoje todos os aposentados, e até a mulher do trabalhador aposentado, tem direito a assistência médica. Aqui no Rio minha voz tem um peso dentro do sindicato. São ao todo 14 mil funcionários, e a nível nacional 104 mil. Agora os Correios vão criar uma escola técnica no Brasil inteiro para formar técnicos postais. Os estudos nesse sentido estão avançados.

O senhor também é ligado a associação de moradores?

Nas minhas andanças pelo município de Itaguaí, já montei muitas associações de moradores. Seja a da Ilha do Martins, que abrange todas as ilhas, em Mazomba, Chaperó. Tenho feito palestras em vários bairros discutindo sobre assuntos pertinentes do momento. Cheguei até a Ilha da Madeira onde montei uma comissão porque sabia que ia aparecer uma série de políticos para se aproveitar da situação. Meu trabalho é sempre nessa linha. E vejo que falta de respeito com o morador da ilha, e com a população de Itaguaí. Não há uma infraestrutura pessoal, humana e de meio ambiente. Não há qualificação para as pessoas ingressarem nas grandes empresas.

E quanto à vontade de chegar à prefeitura?

Minha candidatura veio da parte sindical, do trabalho social que faço e das pessoas que me pediram pra vir candidato. O eleitor vai decidir o futuro de Itaguaí, pois vão surgir outros candidatos, e essa disputa quem resolve é a população. Não tenho dinheiro para fazer propaganda, e meu grau de influência entre a população são essas reuniões com as comunidades. Por exemplo, a questão da Ilha da Madeira. Eu conheci a ilha quando ainda era estradinha de chão, pois fui para lá com um ano de idade. Eu defendo, portanto, os interesses daquela população formada essencialmente por caiçaras e quilombolas.

O que falta para Itaguaí?

Faltam cursos técnicos, porque as empresas não qualificam os trabalhadores? Uma coisa deveria ser feita, e que eu acho muito importante, é uma maior participação do povo e de todos os movimentos sociais que existam na região. Precisam dizer que tipo de escola técnica querem para cá. Não precisam construir prédios novos, basta utilizar as escolas que temos no município, sejam municipais ou estaduais, onde haveriam cursos noturnos. O povo deve decidir isso, por exemplo, a criação de uma escola técnica de turismo, de qualificação para pedreiro, pintor, pois para entrar numa dessas empresas que estão aqui é preciso ser qualificado, senão ele entra como servente.

Se por acaso sua trajetória chegar à prefeitura de Itaguaí, o que será feito?

A população de Itaguaí não pode ficar ausente, pois falta um líder para defender essas questões. Se o pensamento do povo for de união, democracia; de compartilhar, socialismo e trabalhar junto, chegaremos a algum resultado. Por exemplo, se no Plano Diretor do município se tivessem colocado que 70% da mão-de-obra dessas obras seriam daqui, estaríamos movimentando a economia local num processo chamado de orçamento participativo. Isso precisa ter aqui no município.

Qual seria a sua primeira providência como prefeito?

A primeira coisa que eu faria, em relação à cidade, era baixar o imposto, por que não há condição da gente pagar um imposto tão caro. A renda do trabalhador gira em torno de R$ 500, e isso é muito baixo. A segunda medida seria rever todo o Plano Diretor do Município, chamando os moradores para um grande debate, para saber qual a qualidade de vida que nós queremos. Pode até demorar um pouquinho pra sair, mas quando sair será justo para todos.

Por Jorge Lopes - Jornal Atual, 08 de julho de 2011.

Postar um comentário

  1. Prezado Paulo Neves: Orçamento Participativo é obra do PT com a Igreja Católica. A idéia surgiu para controle financeiro das contas públicas, por um segmento religioso, as CEBs.

    As CEBs são as comunidades Eclesiais de Base que utiliza o método ver-agir-julgar, e suas ações no Brasil fomentaram os trabalhos de base do PT, de quem ainda é aliada.

    Racionalize: O que foi e o que é a Igreja Católica para ver, agir e julgar? Um segmento religioso que condenou centenas de milhares de pessoas durante a Santa Inquisição.

    O mesmo segmento religioso que fechou os olhos para a escravidão no mundo e mais recentemente na Segunda Guerra Mundial, contra os judeus e os negros, a favor dos arianos.

    Aliás, o PT se meteu em tudo que não presta da Igreja Católica: MST (pela Via Campesina e pela Pastoral da Terra) e principalmente a Pastoral Penal, de onde tiraram da cartola o Auxilio Reclusão.

    Auxílio Reclusão é aquele dinheiro (quase R$ 900,00 mensais) que os familiares dos presos recebem, enquanto eles cumprem suas penas, enquanto as vítimas não recebem nada.

    No Rio de Janeiro, mais precisamente na Capital, a prática do Orçamento Participativo, bandeira do petista Jó Resende, levou a cidade à falência, no governo Saturnino Braga.

    Aplicar a idéia de Orçamento Participativo em nossa cidade, será facilitar a evasão de recursos por gestores invisíveis e despreparados para lidar com recursos públicos.

    A aplicação de recursos públicos demanda planejamento, sem esquecer dos recursos “carimbados” principalmente das áreas da Educação e Saúde.

    Na falta de organização das nossas associações de moradores, o que vale é a palavra do “líder comunitário”, que na verdade não representa a comunidade. Falta representatividade!

    Se pararmos para raciocinar e observarmos que todas as eleições de associações de moradores são manipuladas para não receber nada, imagine como será uma votação orçamentária?

    Orçamento Participativo é transformar as comunidades em massa de manobra para desviar recursos públicos, não bastasse o incentivo à poupança, sabendo que ela rende menos que a inflação.

    Não podemos esquecer que o PT, de olho nos votos, fomentou as dicotomias sociais recrudescendo as diferenças.

    É o mesmo PT que além de libertar o terrorista italiano Cesare Battisti, concedeu asilo humanitário ao facínora, que ainda pode ganhar cidadania brasileira.

    É o mesmo PT que entregou os exilados cubanos e que expulsou os agricultores de Roraima para favorecer os índios estrangeirizados que não deixam os brasileiros entrar nas terras.

    É o mesmo PT que está de olho nos votos da comunidade maconheira, discriminalizando a erva que não tem produção industrial, manutenindo as ações do tráfico.

    É o mesmo PT que culpa a sociedade por todas as mazelas, diferenças sociais, atrasos e demais óbices da Nação.

    ResponderExcluir
  2. Olá Sergio Prata, continuo seu fã!
    Temos uma presidenta petista e o que estamos vendo: corrupção, ditadura, inflação em alta, supressão de liberdade religiosa e de liberdades pessoais, etc...
    Estamos reclamando o tempo todo que o atual prefeito "governa sozinho" e a Dilma? A cidade cresceu, progrediu. é claro que muita coisa precisa melhorar. mas, já tivemos outras experiencias e vimos no que elas deram. Precisamos de candidatos que tenham visão e que tenham um projeto sólido de governo!
    Até agora não apareceu ninguém assim. Infelizmente!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. JOÃO NINGUEM seu pior pesadeloterça-feira, 12 julho, 2011

    A matéria foi feita pelo Jornalista Jorge Lopes,não é de Itaguai,não conhece Itaguaí,chegou a pouco tempo no jornal Atual,só assim se justifica tamanha perda de tempo.o entrevistado é sem expressão politica,teve 115 votos para vereador nas eleições passadas.É fraquissimo,tambem é paraquedista na Cidade,é um verdadeiro oportunista, que pelo PT de Itaguai, não teria vaga para vereador nas eleições em que ele teve 115 votos.não sei se depois desse fiasco ele teria apoio do PT do RIO para ser candidato a alguma coisa,mas agora com o Jornal ATUAL de baixo do braço,ele vai fazer o que mais sabe:contar estorinhas,é um verdadeiro 71

    ResponderExcluir
  4. Ôoooo J.Ninguém até que vc não é um caso perdido.

    O PT entende muito é de participar do orçamento, não de orçamento participativo.

    Os Correios eram um exemplo de serviço público, até que o PT assumiu a presidência e começou o processo de aparelhamento daquele órgão.Graça aos cumpanhero, filiados de partidos aliados e aos "tumores sindicalistas", os Correios vive a sua pior fase: falta de efetivo, funcionários mal remunerados, corrupção...

    "Nunca antes na história deste país", se viu tanta corrupção como nestes mais de 8 anos de governo do PT.
    Dilma Rousseff deveria ser indiciada por corrupção ativa, pois ela é a mãe do PAC e, praticamente todas as obras deste programa estão envolvidas em corrupção.

    Ah, o Abelardinho não será mais o candidato do PT?
    Pelo PDT ele não vem.
    Então candidatura de Paulo Neves "melou" a de Abelardinho?

    Alguém pode me explicar?

    ResponderExcluir
  5. Prezado Paulo Neves: Você está equivocado, eu não estou discutindo religião, estou afirmando que o PT usou e abusou dos procedimentos das CEBs, tomando viciosamente para o partido a autoria dos atos. Melhor para a igreja que tendenciosamente fugiu à responsabilidade, como sempre o fez!

    O PT tem o hábito de tomar as bandeiras dos seus interesses renegando a autoria daquilo que supõem pode vir a dar certo: Foi assim com o Programa Bolsa Escola de Cristovam Buarque, que o PT tomou para si a autoria, depois transformando no Programa paternalista e populista Bolsa Família, o famigerado Bolsa Esmola, que dá o peixe, mas não ensina a pescar.

    Admiro o seu romantismo quando fala dos programas do PT, embora seja o mesmo velho PT de sempre, não sei de qual PT que você é tão cegamente apaixonado: Será o PT dos trabalhos de base e das mobilizações sociais? Ou será o PT capitalista que oculta a divida externa aumentando a divida interna? Será o PT panfletário que ia às ruas com indignação? Ou será o PT tolerante com as fraudes e a corrupção dos seus dirigentes?

    Você não entrou ontem na política! Sabe perfeitamente que as lideranças das associações de bairros não tem representatividade alguma, e que muitos estão ocupando os cargos com “mãos de ferro”. É com este tipo de gente que você quer dialogar? Tem certeza que você vai discutir orçamento participativo com eles?

    Eu acompanhei de perto a tragédia na Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro no governo Saturnino Braga e Jó Resende, onde o orçamento participativo foi implantado com o nome pomposo de Conselho Governo Comunidade, e que levou a Prefeitura a falência, com salários dos servidores e os pagamentos dos fornecedores atrasados por mais de cinco meses.

    Você sabe por quê? Para priorizar os pagamentos do orçamento participativo definido pelos Conselhos Governo Comunidade! Não é isto que nós queremos para a nossa cidade!

    Em São Paulo foi a mesma coisa no Governo Luiza Erundina, o orçamento participativo foi tão fracassado que quase levou a ex-Prefeita para o ostracismo político. Se ela “não fosse de circo”, estaria acabada politicamente.

    O Prefeito de São Bernardo, Celso Daniel, morto em 2002, um escândalo que o PT até hoje se esforça para abafar, procurando difamar o finado, chamando-o de homossexual para justificar sua morte, cidade onde o orçamento participativo foi mais um fracasso, mas foi o local e período de ensaio do mensalão. A morte do Prefeito serviu para alertar os demais.

    Falando em mensalão, em que pé estão os processos do Genuíno, Dirceu, Palocci, Delúbio e outros mais? Qual foi mesmo a justificativa para a ajuda das FARCs na campanha Presidencial de LULA?

    E agora meu amigo? Dois escândalos financeiros no Governo Dilma e você quer que eu acredite em orçamento participativo em um governo do PT?

    Você está brincando? Se você não sabe brincar, não desce para o play!

    ResponderExcluir
  6. JOÃO NINGUEM seu pior pesadelo...quarta-feira, 13 julho, 2011

    Até que em fim vou concordar com os comentários do Neuci sobre os correios e a corrupção do PT e tambem o sergio Prata desmascarando esse bossal do papel higienico Neves.Vou dizer mais Neuci ,esse bobão esta criando um factoide para conseguir na negociação uma vaga para disputar as eleições de vereador e depois conseguir uma boquinha no governo do abelardinho.Com a votação que ele teve na eleição passada,nem vaga de candidato a vereador ele teria.Foi um fiasco total,é um enganador eleitoral....

    ResponderExcluir
  7. Itaguaí já tem ladrão demais, que os petistas vão pras profundezas do inferno, de onde nunca deveriam ter saído.

    Vai arrumar um emprego na 18 ou no Carvão, se é que já trabalha.

    BRASÍLIA - O procurador-geral da República Roberto Gurgel enviou na quinta-feira parecer com alegações finais sobre o caso do mensalão. De acordo com a acusação, José Dirceu, "o chefe de quadrilha", pode pegar até 111 anos de prisão. Para a PGR, "as provas coligidas no curso do inquérito e da instrução criminal comprovaram, sem sombra de dúvida, que José Dirceu agiu sempre no comando das ações dos demais integrantes dos núcleos político e operacional do grupo criminoso. Era, enfim, o chefe da quadrilha". Dirceu é acusado de formação de quadrilha e corrupção ativa.

    O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirma ainda que o Ministério Público Federal está plenamente convencido de que as provas produzidas no curso da investigação comprovaram a existência do mensalão, esquema criminoso voltado para a obtenção de apoio político no Congresso Nacional durante o governo Lula.
    "Trata-se da mais grave agressão aos valores democráticos que se possa conceber. No momento em que a consciência do representante eleito pelo povo é corrompida em razão do recebimento de dinheiro, a base do regime democrático é irremediavelmente ameaçada", diz Gurgel nas alegações finais sobre a Ação Penal 470, que denuncia 38 réus envolvidos no esquema do mensalão.
    Marcos Valério
    Apesar de o deputado cassado José Dirceu aparecer no documento como peça central do esquema, a possibilidade de punição mais dura recai sobre o empresário Marcos Valério. A PGR considera que o mineiro cometeu os crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa. No caso em questão, a pena pode variar de 429 a 1.727 anos de prisão.
    "Naquele momento, o interesse do grupo de Marcos Valério de viabilizar, no recém empossado governo do PT, o esquema ilícito de desvio de recursos públicos que já protagonizavam no governo de Minas Gerais, coincidiu com os propósitos de José Dirceu e o seu grupo - Delúbio Soares, Sílvio Pereira e José Genoíno -, de angariar recursos para consolidar o projeto de poder recém vitorioso do Partido dos Trabalhadores, mediante a compra de suporte político de outros Partidos Políticos e do financiamento futuro e pretérito (pagamento de dívidas) das suas próprias campanhas eleitorais", ponderou Gurgel.

    Eu particularmente acho uma injustiça o que estão fazendo com Dirceu, pois o chefe da quadrilha é o Lula, ele era o presidente.
    Como está sendo injustiçado hoje, o ex-ministro dos transportes, Alfredo Nascimento, ele não é culpado pelo gigantesco escândalo de superfaturamento em obras do PAC, pois a verdadeira culpada se chama Dilma Rousseff, A MÃE do PAC.
    Como Lulla sempre disse, na campanha presidencial: Dilma é a responsável pelo PAC.

    ResponderExcluir
  8. Para quem participou dos seguintes assaltos: BANESPA em São Paulo, CASA DE ARMAS DIANA em São Paulo, 4º REGIMENTO DE INFANTARIA em Osasco, S.P., CASA DO GOVERNADOR ADHEMAR DE BARROS na Urca, R.J., BANCO MERCANTIL em São Paulo, e ao QUARTEL DA FORÇA PÚBLICA em Barro Branco, S.P., como a “cumpanhera” LUIZA, PATRICIA, WANDA ou DILMA VANA ROUSSEFF LINHARES, desviar recursos públicos é tão simples como tomar um cafezinho!!!!!!!!

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item