A ILUSÃO DA LIVRE ESCOLHA nas eleições de Itaguaí

O maior legado da democracia através dos tempos é a oportunidade do eleitor escolher um (1) dentre vários nomes para uma função específica...


O maior legado da democracia através dos tempos é a oportunidade do eleitor escolher um (1) dentre vários nomes para uma função específica, cada eleitor escolhe seu melhor candidato e o mais votado assume a vaga majoritária...bem, esse simples processo eleitoral está sendo substituído por um trágico processo onde é vetado ao eleitor escolher o melhor nome. Simplesmente os partidos não lançam seus melhores nomes, apenas preferem se esconder em blocos e coligações.

Hoje, a "cédula eleitoral" possui muito espaço e pouco nome de candidatos para se escolher. É impensável ter 10, 15, 20 partidos escondidos em uma (1) só chapa ou coligação. Isso é um deboche e desrespeito ao eleitor, tratado nesse caso como simples gado ou massa de manobra. Esse processo cruel torna o dia da eleição apenas um ato decorativo(!).

A grande questão é que não é normal uma cidade do porte da nossa ter uma cédula eleitoral tão pobre como a que será apresentada ao eleitor nas eleições desse ano. Mas o que será que está acontecendo em Itaguaí? Certamente não faltam partidos! Faltam candidatos a prefeito a vice-prefeito se habilitando nos quadros dos partidos da cidade? Ou faltam eleitores?!?

Em 2000, o Iraque, comandado pelo ditador Sadam Hussein, passou por um processo eleitoral. O eleitor iraquiano ao abrir a cédula, para votar para presidente teve duas escolhas: Sadam Hussein ou não. Isso mesmo que você leu! Ou o candidato oficial ou não?!? Será que nesse ano os itaguaienses se verão nessa mesma situação?

Aos partidos locais, a decisão de agruparem-se num "blocão" equivale a apostar em todos os cavalos numa mesma corrida. Não importa quem ganhe, "eu" ganharei do mesmo jeito...ok? Nem sempre! Pois nessa corrida, quem perde mesmo é o menosprezado eleitor da cidade. Que sem escolha, vota no que tem na cédula!

Infelizmente, a verdadeira eleição está ocorrendo nesse momento e bem longe das urnas eleitorais. E por seguinte, bem longe do eleitor. A minha maior dúvida é essa: O que sobrará para o eleitor no dia da eleição? Um único grande "candidato pasteurizado" e devidamente selecionado como fruta naqueles sacolões de luxo?

Nossa cidade precisa de vários candidatos a prefeito!!! O eleitor merece ter vários nomes para poder escolher o melhor. É inaceitável abrir a cédula eleitoral e ver apenas um (1) nome como candidato. Eu quero escolher meu candidato a prefeito e não deixar que outros escolham por mim antes do dia da eleição. Essa é a minha opinião, está aberto o debate!

Prof. Danilo Aguiar

Postar um comentário

  1. O DIA DA ELEIÇÃO ALÉM DE APRESENTAR-SE COMO ATO DECORATIVO É TAMBÉM DE FACÍLIMA MANIPULAÇÃO. E FATO É QUE AS ELEIÇÕES JÁ ESTÃO OCORRENDO E BEM LONGE DA NOSSA CIDADE!!!

    ResponderExcluir
  2. E VERDADE CADE A TAL PESQUISA QUE O PREFEITO TANTO FALOU? NA MINHA OPINIAO O GENILDO FOI O MAIOR PREJUDICADO COM ESSA ARMAÇAO DO CHARLINHO, POIS COM CERTESA ELE SERIA O MAIS INDICADO PELA POPULAÇAO. SO QUE O GENILDO ACEITA TUDO QUE O REI FALA E VAI TER QUE SE CONTENTAR E VOLTAR A SER VEREADOR MESMO. SE FOSSE MAIS PEITUDO PODERIA ALMEJAR ALGO A MAIS, POIS TEM POTENCIAL PARA ISSO.

    ResponderExcluir
  3. Precisamos continuar na luta por uma maior conscientização do eleitorado itaguaiense e para que isso se reflita nas urnas.

    Esse seu texto Danilo, casa muito bem com o que fala da necessidade da candidatura Saulo pois precisamos de debate inteligente e de propostas de verdade, que só podem vir do Aramis Brito e do Saulo Farias pois do Valle só virá o: " O trabalho tem que continuar"... alguém duvida que este será o slogan da campanha?

    Eu quero ver o surgimento de mais um candidato, o do PT (que só Deus sabe quem será pois eles tem uns 13 pré-candidatos).

    Aí a cédula fica bonita Danilo:

    Alexandre Valle (PMDB)
    Aramis Brito (PSC)
    Luciano Mota (PSDB)
    ??? (PT)
    Saulo Farias (PP)

    ResponderExcluir
  4. Do jeito que andam as coisas....vai ficar assim a cédula eleitoral: Alexandre Valle (PMDB do Charlinho) e Luciano Motta (PSDB) fazendo figuração...ahahaha

    ResponderExcluir
  5. "Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um." (Fernando Sabino)

    ResponderExcluir
  6. Parece que Mikhail Bakunin estava certo: "Os homens acreditavam que o estabelecimento do sufrágio universal garantia a liberdade dos povos. Mas infelizmente esta era uma grande ilusão..." e por pensar assim, acrescentava: "“A melhor forma de votar é arrancar as pedras da calçada e lançá-las nas cabeças dos políticos”.

    ResponderExcluir
  7. Um texto de Mikhail Bakunin a respeito das eleições "democráticas" e a propósito da postagem do Prof. Danilo Aguiar

    A Ilusão do Sufrágio Universal

    Os homens acreditavam que o estabelecimento do sufrágio universal garantia a liberdade dos povos. Mas infelizmente esta era uma grande ilusão e a compreensão da ilusão, em muitos lugares, levou à queda e à desmoralização do partido radical. Os radicais não queriam enganar o povo, pelo menos assim asseguram as obras liberais, mas neste caso eles próprios foram enganados. Eles estavam firmemente convencidos quando prometeram ao povo a liberdade através do sufrágio universal. Inspirados por essa convicção, eles puderam sublevar as massas e derrubar os governos aristocráticos estabelecidos. Hoje depois de aprender com a experiência, e com a política do poder, os radicais perderam a fé em si mesmos e em seus princípios derrotados e corruptos. Mas tudo parecia tão natural e tão simples: uma vez que os poderes legislativo e executivo emanavam diretamente de uma eleição popular, não se tornariam a pura expressão da vontade popular e não produziriam a liberdade e o bem estar entre a população?

    Toda decepção com o sistema representativo está na ilusão de que um governo e uma legislação surgidos de uma eleição popular deve e pode representar a verdadeira vontade do povo. Instintiva e inevitavelmente, o povo espera duas coisas: a maior prosperidade possível combinada com a maior liberdade de movimento e de ação. Isto significa a melhor organização dos interesses econômicos populares, e a completa ausência de qualquer organização política ou de poder, já que toda organização política se destina à negação da liberdade. Estes são os desejos básicos do povo. Os instintos dos governantes, sejam legisladores ou executores das leis, são diametricamente opostos por estarem numa posição excepcional.

    Por mais democráticos que sejam seus sentimentos e suas intenções, atingida uma certa elevação de posto, vêem a sociedade da mesma forma que um professor vê seus alunos, e entre o professor e os alunos não há igualdade. De um lado, há o sentimento de superioridade, inevitavelmente provocado pela posição de superioridade que decorre da superioridade do professor, exercite ele o poder legislativo ou executivo. Quem fala de poder político, fala de dominação. Quando existe dominação, uma grande parcela da sociedade é dominada e os que são dominados geralmente detestam os que dominam, enquanto estes não têm outra escolha, a não ser subjugar e oprimir aqueles que dominam. Esta é a eterna história do saber, desde que o poder surgiu no mundo. Isto é, o que também explica como e porque os democratas mais radicais, os rebeldes mais violentos se tornam os conservadores mais cautelosos assim que obtêm o poder. Tais retratações são geralmente consideradas atos de traição, mas isto é um erro. A causa principal é apenas a mudança de posição e, portanto, de perspectiva.

    ResponderExcluir
  8. "A democracia é a pior forma de governo, exceto todas as outras que têm sido tentadas de tempos em tempos."
    (Winston Churchill)

    ResponderExcluir
  9. Votem no ARAMIS BRITO, ele não compra votos, é um cara sincero, honesto, sua campanha é a mais limpa possível.
    Vote 20 Itaguaí!!!

    ResponderExcluir
  10. Por lei são os partidos políticos que definem os candidatos. O voto do eleitor só é aceito para esses candidatos, para nenhum outro. Então, na verdade, o poder de escolha não está nas mãos dos eleitores, mas sim dos partidos políticos. Eles podem escolher os candidatos que melhor lhes aprouver, e não tenha dúvidas que irão exercer esse poder em seu benefício, definindo candidatos comprometidos exclusivamente com os seus interesses. Assim a escolha do eleitor fica sempre restrita a candidatos que irão priorizar os interesses do partido que o lançou, não desse eleitor.

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Curta nossa Página

Semana

Recentes

Comentários

Visualizações do Blog

Twitter

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui
item