Sessão da Câmara de Vereadores de Itaguaí - 06/03/2012 - Conforme Jornal Atual

Jornal Atual, 08 de março de 2012 - Por Welington Campos
Câmara cria comissão para apurar falta d’água


Membros da comissão vão cobra da Cedae uma explicação sobre a falta d’água na cidade

Após várias reclamações por parte dos vereadores e da população que está sofrendo com a falta d’água, o presidente da Câmara Municipal, Jorge Luís da Silva Rocha, nomeou, durante a sessão desta terça-feira (6), uma comissão especial para tratar do assunto e cobrar da Cedae o fornecimento de água em bairros que estão com as torneiras secas há mais de dois meses. Entre os membros nomeados estão os vereadores Vicente Rocha, Márcio Pinto e Carlos Kifer, que terão como suplentes os colegas Nisan César e Silas Cabral.

Para o vereador Vicente Rocha, a população está sofrendo muito com a falta d’água e a Cedae não está cumprindo com suas obrigações. “Criamos essa comissão para fiscalizar a Cedae, uma vez que ela tem orçamento. A concessionária tem que dar uma resposta à população de Itaguaí. A Cedae é uma empresa vinculada ao Governo do Estado e tem que ter responsabilidade com cidadão itaguaiense, que é consumidor; responsabilidade essa que ela não vem tendo. São vários bairros que estão há mais de dois meses sem uma gota d’água. A situação é caótica e criminosa, uma vez que o fornecimento de água potável é direito constitucional. Quero fazer um clamor à população para que a gente faça uma manifestação contra a Cedae, que só faz emitir as contas e não fornece o produto pelo qual ela cobra”, esbravejou Vicente Rocha, ressaltando que vai levar a denúncia ao Ministério Público e ao presidente da Cedae, Wagner Victer.

Vicente Rocha clama a população para uma manifestação contra a Cedae

Comentários

  1. Oi, qual é o site da Câmara de Itaguai,

    ResponderExcluir
  2. Hummmm... vereadores preocupados com o bem-estar da população? Não é novidade: em ano eleitoral é que a turminha gosta de trabalhar ou...será que estão querendo pressionar a Cedae para conseguir um jabá (suborno) a funcionar da seguinte forma: a Cedae financia a campanha de algum vereador e este em troca do "favor" deixa de cobrar dela a melhoria dos serviços que deveriam ser prestados por ela...

    Não estou acusando ninguém, não estou afirmando nada... estou apenas refletindo aqui. Será que expor pensamentos geraria processo judicial?

    ResponderExcluir

Postar um comentário