O Efeito Dominó da Irresponsabilidade dos Governantes de Itaguaí - por Aramis Brito

Por Aramis Brito

Em Itaguaí se perpetua um modelo político conhecido como patrimonialista, esse modelo tem como principio administrar o dinheiro público como se fosse seu, é um modelo perverso que desfalca o caixa público, nesse modelo o gestor se acha no direito de amealhar vantagens para si. O governo passado usou e abusou de agir dessa forma, fez o que quis com a conivência do legislativo, a prefeitura tornou-se uma mega imobiliária que enriqueceu os seus senhores, tornou-se uma poderosa empreiteira que "milionarizou" os seus sócios, a cidade assistia o patrimonialismo reinar soberanamente, aquele governo acabou, espero que para sempre, e eis que surge outro escorado no mesmo patrimonialismo e com a mesma conivência dos nossos legisladores, esse curto governo já deu mostras que a farra vai continuar, nesse modelo o povo é excluído, o dinheiro é desviado para fins de ordens estritamente pessoais, nesse modelo o povo sofre, geme, chora os seus mortos por negligencia do poder, nesse modelo a violência aumenta, Itaguaí teve um aumento de 61% no índice de assassinatos no período de um ano, a arrecadação teve uma queda de 39% ano passado, o desemprego aumentou assustadoramente, eu chamo isso de Efeito Dominó, Itaguaí hoje sofre os desmandos de administrações perdulárias e patrimonialistas, sofre com a irresponsabilidade dos seus atores públicos que atuam ignorando solenemente o município, esses carreiristas destroem uma cidade que possui todas as condições para dar certo, precisamos de novos personagens que abominem esse modelo, que surjam de baixo, que tenham representatividade e credibilidade com a população, que tenham como modelo uma política pautada no serviço e no compromisso com toda sociedade. Esse é o caminho, só assim acabaremos com esse nefasto Efeito Dominó.

Por Aramis Brito - Colunista do Blog Política de Itaguaí

Comentários