Nas eleições 2022 os eleitores votarão por conviccção ou por rejeição? Os nomes mais cotados são Bolsonaro, Doria, Ciro Gomes, Moro e Lula

A pandemia será levada em consideração na hora do eleitor decidir o voto? As ações de combate ou de negar a pandemia, serão decisivas para que muitos eleitores decidam em quem votar e o presidente Bolsonaro, que lidera as últimas pesquisas para Presidente em 2022, pode manter essa força ou cair dependendo dos rumos da pandemia que está na sua segunda onda no Brasil. 

As forças que não querem mais o Presidente Bolsonaro no poder, usarão demais a pandemia para determinar os rumos das próximas eleições.
 
Segundo o levantamento mais recente do Instituto Paraná Pesquisas, divulgado no início de março, Bolsonaro tem 32,2% das intenções de voto em todo o país, enquanto Lula ficou com 18%.
 
Enquanto Bolsonaro tem em Lula um forte oponente no Nordeste, sem o petista o atual presidente lidera com folga em todas as regiões contra os demais presidenciáveis – inclusive entre os nordestinos.

Segundo o último levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, num cenário sem Lula, Bolsonaro lidera com 31,9% das intenções de voto. Numericamente à frente dos demais presidenciáveis, Sergio Moro (sem partido) aparece com 11,5%, seguido por Fernando Haddad (PT) com 10,5%.
 
Há quem não queira nem o atual governo, nem a volta a um governo do PT. Se as outras formas não se organizarem, o país pode continuar prisioneiro de uma eleição, onde o voto decisivo vai ser por eliminação e não por convicção. Nesse cenário, 2022 será uma disputa de rejeições, mais do que escolhas de caminhos para o país.

Comentários